Lavanderia Góes

Lavagem de Sofás Sorocaba Limpeza de Tapetes Sorocaba



Lavagem de Estofados em Sorocaba Higienização de Estofados sorocaba



Lavagem de Sofás Sorocaba Limpeza de Tapetes Sorocaba



Lavagem de Estofados em Sorocaba Higienização de Estofados sorocaba



Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


02/07 - Câmara Municipal cancela recesso parlamentar de julho em Presidente Prudente
Decisão considera as recentes suspensões dos trabalhos do parlamento municipal, em decorrência do risco de contágio no início da pandemia nos meses de abril e maio. Câmara de Presidente Prudente não terá recesso em julho Câmara Municipal de Presidente Prudente A Câmara Municipal de Presidente Prudente cancelou o recesso parlamentar de julho de 2020, que deveria ter tido início nesta quarta-feira (1º). De acordo com o Legislativo, a decisão considera as recentes suspensões dos trabalhos do parlamento municipal, em decorrência do risco de contágio no início da pandemia da Covid-19, nos meses de abril e maio. Dessa forma, as sessões continuam todas as segundas-feiras. Também por conta da pandemia, por enquanto, os encontros permanecem às 14h e sem acesso do público, que poderá acompanhar por meio do canal da TV Câmara Presidente Prudente. O cancelamento do recesso foi possível após as alterações na Lei Orgânica do Município e no Regimento Interno da Casa de Leis. Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.
Veja Mais

02/07 - Detento do Carlos Tinoco da Fonseca testa positivo para Covid-19 em Campos, no RJ
Preso precisou de atendimento médico e foi encaminhado para o Hospital Ferreira Machado nesta terça-feira (30). Um detento do presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, testou positivo para Covid-19. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), o preso precisou de atendimento médico, na última terça-feira (30), e foi encaminhado ao Hospital Ferreira Machado (HFM), onde realizou o teste e teve o resultado positivo. A Seap ressaltou que, até o momento, apenas um interno foi diagnosticado com a doença em Campos. Ainda segundo a Seap, todos os outros detentos que tiveram contato com o infectado foram colocados em isolamento como forma preventiva. "É importante afirmar, ainda, que a superintendência de saúde da Seap já entrou em contato com a secretaria municipal de saúde para notificação e acompanhamento do caso", informou a Seap em nota. A secretaria destacou também o empenho dos seus servidores e o apoio de familiares dos internos que vêm contribuindo para o cumprimento das ações protetivas adotadas pelo governo do estado do Rio de Janeiro nas unidades e ressaltou que, desde o dia 13 de março, tem adotado medidas preventivas contra o coronavírus em todas as unidades prisionais. Entre as ações estão a suspensão de visitas nas unidades prisionais, conforme decreto publicado pelo governador Wilson Witzel. Além disso, todos os presos que estão ingressando no sistema ficam em isolamento social durante 14 dias, acompanhados pela equipe de saúde da secretaria. Após esse período, não apresentando qualquer sintoma respiratório ou febre, os presos são inseridos no coletivo da unidade. A Seap também afirma que adotou a realização de testes rápidos para o diagnóstico da Covid-19 em mais de 1.500 servidores. Também foram distribuídas mais de 280.000 máscaras descartáveis e reutilizáveis e 137.000 luvas cirúrgicas, além de cerca de 1.700 litros de álcool em gel e líquido aos servidores. As unidades prisionais também receberam 110 face shields, além de 515 óculos de segurança e água sanitária para a intensificação da limpeza; Outra ação adotada foi a aferição da temperatura dos servidores ao chegarem para trabalhar nos presídios com o uso de termômetros infravermelhos e a instalação de um número maior de pias nas unidades e fornecimento de sabão e toalha de papel, para facilitar e intensificar a lavagem das mãos, com orientação da área técnica da Seap. Veja outras notícias da região no G1 Norte Fluminense. Initial plugin text
Veja Mais

02/07 - Empresários e empresas no Ceará são alvos mandados em operação nacional contra fraudes em licitações
Ministério Público do Ceará (MPCE) cumpriu quatro ordens de busca e apreensão no Eusébio. Suposto esquema teria fraudado licitação para a contratação de uma empresa especializada em locação de equipamentos médico-hospitalares no estado do Mato Grosso do Sul. Duas empresas sediadas no município do Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza, e dois empresários residentes na mesma cidade foram alvos de quatro mandados de busca e apreensão nessa quarta-feira (1º), durante uma operação que investiga fraudes em licitações. Segundo as investigações, o suposto esquema criminoso teria fraudado licitação para a contratação de uma empresa especializada em locação de equipamentos médico-hospitalares no estado do Mato Grosso do Sul, no ano de 2015. Os mandados foram cumpridos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), nessa quarta-feira (1º). Os nomes das empresas e dos envolvidos na investigação, entretanto, não foram divulgados. A ação foi realizada pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), em auxílio à “Operação Redime”, deflagrada pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul. O esquema envolve empresas do Ceará, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná e Piauí. Além das fraudes a licitações, a operação ainda apura a ocorrência dos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva e outros delitos. Os valores pagos pelo governo do estado do Mato Grosso do Sul já ultrapassam o montante de R$ 120 milhões, de acordo com o Ministério Público. Durante a operação nacional, foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão e apreendidos diversos materiais como documentos, agendas, registros contábeis, anotações, comprovantes de movimentações bancárias, computadores, notebooks, dinheiro em espécie, além de aparelhos de telefonia móvel. Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de Campo Grande e cumpridos por 17 promotores de Justiça, 15 servidores do MP, 70 policiais militares e quatro policiais civis, tendo como alvos pessoas físicas e jurídicas. No Ceará, a ação contou com apoio do Núcleo de Inteligência e Apoio Técnico do MPCE (Niat) e da Polícia Militar do estado.
Veja Mais

02/07 - Homem é morto a tiros em Araraquara após atacar PM com facão, diz boletim de ocorrência
Caso aconteceu no Jardim Iguatemi. Vítima foi identificada como Bonifácio Sebastião da Silva, de 66 anos. Homem é morto a tiros durante ação policial em Araraquara A Cidade ON/Araraquara Um homem foi morto a tiros em Araraquara (SP) após atacar um policial militar com um facão, na noite de quarta-feira (1º). O caso aconteceu no Jardim Iguatemi. A vítima foi identificada como Bonifácio Sebastião da Silva, de 66 anos. Segundo informações registradas no boletim de ocorrência, uma equipe da PM fazia patrulhamento de rotina quando percebeu a presença de diversas pessoas em uma viela. Para se aproximar do grupo, os policiais deram volta no quarteirão e, ao retornarem, apenas um casal permanecia no local. O jovem de 18 anos estava em uma viela, enquanto a mulher, ao avistar a viatura, teria começado a caminhar e jogado um embrulho no corredor externo de uma casa. Os policiais foram até o local onde a jovem dispensou o pacote. Segundo o relato dos PMs, a casa aparentava estar abandonada, pois estava sem iluminação e parcialmente destruída. Segundo o B.O., policial foi atacado por homem com facão A Cidade ON/Araraquara Um dos policiais entrou no local e encontrou um saco plástico com diversos micro tubos de cocaína e maconha. Neste momento, Bonifácio teria saído de dentro da casa, com um facão e uma barra de ferros nas mãos, e partido para cima dos policiais. Um PM acabou ferido no braço e, mesmo após pedidos para que a vítima se afastasse, ele teria continuado indo para cima. Com isso, o policial acabou revidando e disparado ao menos três vezes contra o homem, que caiu no chão. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, porém, o homem não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Um irmão da vítima afirmou que ele sofria de doença mental. O policial ferido passou por exame de corpo delito e o jovem de 18 anos, que estava com as drogas, foi preso em flagrante e encaminhado à Penitenciária de Araraquara. Caso aconteceu no Jardim Iguatemi em Araraquara A Cidade ON/Araraquara Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.
Veja Mais

02/07 - Policial militar que voltava do serviço reage a tentativa de assalto e é baleado em Fortaleza
Dois homens em uma moto anunciaram o assalto e, em seguida, houve troca de tiros. O estado de saúde do PM é estável. Um policial militar foi baleado no bairro Jacarecanga, em Fortaleza, após reagir a uma tentativa de assalto quando retornava para casa após o serviço, por volta das 22h30 desta quarta-feira (1º). De acordo com a Polícia Militar do Ceará (PMCE), o estado de saúde do PM é estável. O agente de segurança se deslocava para casa quando percebeu que sua motocicleta apresentava baixo nível de combustível. Ele, então, decidiu parar o veículo e desembarcou para acionar a chave do tanque reserva. Nesse momento, ele foi abordado por dois indivíduos armados em outra moto. A dupla anunciou o roubo e o policial tentou reagir, mas um dos suspeitos fez disparos com uma arma de fogo, dando início a uma troca de tiros. Durante o confronto, o PM acabou sendo atingido com um disparo no braço esquerdo, mas conseguiu se abrigar logo em seguida. Ele acionou apoio e foi encaminhado a uma unidade hospitalar. Conforme a Polícia Militar, a dupla fugiu sem levar nada. Em nota, a PM informou ainda que continua a realizar diligências para localizar e capturar os suspeitos. Não há informações se algum deles também chegou a ser atingido pelos disparos.
Veja Mais

02/07 - Campanha Julho Amarelo alerta para a prevenção às hepatites virais em Belém
Na capital paraense, em 2017, foram notificados 223 casos. Já em 2018, foram contabilizados 224 e, no ano de 2019, mais 231 novos casos. Julho Amarelo: Campanha previne e combate as hepatites virais Durante o mês de julho, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) promove a campanha Julho Amarelo, de prevenção e combate às hepatites virais em Belém. Entre as ações, estão a distribuição de insumos de prevenção (preservativos masculinos, femininos e gel lubrificante), ampliação da testagem para as hepatites B e C, e da cobertura vacinal para a hepatite B. A hepatite é a inflamação do fígado e nem sempre apresentam sintomas. Os tipos mais comuns são causados pelos vírus A, B e C. Em Belém, em 2017, foram notificados 223 casos. Já em 2018, foram contabilizados 224 e, no ano de 2019, mais 231 novos casos. A Sesma faz um alerta para que a conscientização e a prevenção da hepatite no município se torne um hábito, para evitar que a doença evolua para uma situação mais grave pela falta de diagnóstico ou diagnóstico tardio. As principais medidas de controle das hepatites virais de transmissão sanguínea e sexual são a adoção de medidas de prevenção como o uso do preservativo nas relações sexuais e o não compartilhamento de objetos contaminados como lâminas e seringas, por exemplo.
Veja Mais

02/07 - 'Haverá impacto em todas as áreas da educação nacional', diz pesquisador do Inep sobre crise gerada pelo coronavírus
Inep divulgou relatório do 3º Ciclo de Monitoramento das Metas do PNE. Mesmo sem refletir primeiro ano do governo Bolsonaro e a atual crise, apenas uma das 20 metas foi alcançada em seis anos do Plano. Durante a divulgação do relatório do 3º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação, coordenador do documento, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), estimou que a crise gerada pelo coronavírus deverá afetar todas as áreas da educação nacional. "Com certeza haverá impacto [da crise do coronavírus] em todas as áreas da educação nacional", afirmou o pesquisador do Inep, Gustavo Henrique Moraes. No entanto, o pesquisador disse que ainda é cedo para prever qual será o real impacto da pandemia na área. "A gente não tem uma previsão de como será o impacto." Durante a coletiva, Alexandre Lopes, presidente do Inep, também afirmou que já é possível perceber reflexos da crise econômica no Ministério da Educação. “O MEC se enfraquece um pouco diante da questão fiscal que o Brasil vive”, disse Lopes, sem citar exemplos das áreas que estariam mais enfraquecidas. Ele também não quis comentar o situação do Ministério, que segue sem a nomeação de um novo ministro. Metas do PNE pouco avançaram Mesmo sem refletir o primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro e a crise da pandemia, o relatório do 3º Ciclo de Monitoramento das Metas do PNE mostrou que das 20 metas previstas para serem atingidas entre 2014 e 2024, o Brasil cumpriu somente uma, refente à formação de professores do ensino superior. "A proficiência [aprendizado] na educação é um dos principais problemas que precisamos encarar na educação brasileira", destacou o pesquisador Moraes. O pior resultado, segundo o coordenador do relatório, foi em relação à meta que estipula que a integração da Educação de Jovens e Adultos (EJA) à educação profissional. "Aqui está nosso pior indicador: apenas 1,6% de matrículas de jovens adultos estão integradas à educação profissional”, afirmou Moraes. "As metas [do PNE] não são metas que somente o MEC sozinho poderia fazer. As metas envolvem estados, municípios, universidades, institutos federais, são muitos atores envolvidos", afirmou Lopes. Entre os destaques apresentados durante a coletiva desta quinta-feira, estão: 31 de 37 indicadores usados no plano tiveram nível de execução inferior a 60% Mais de 21% dos indicadores retrocederam Nos últimos anos, Brasil retrocedeu principalmente nos números do ensino integral e nos gastos com educação A única meta integralmente atingida é a que se refere à formação de professores do ensino superior, meta que, na verdade, já havia sido cumprida em 2018.
Veja Mais

02/07 - Coronavírus: com 1ª puérpera na lista de vítimas, Campinas anuncia mais 19 mortes e chega a 343
Mulher de 30 anos de idade não tinha comorbidades e morreu no dia 30 de junho. Cidade atingiu 8.995 casos nesta quinta-feira (2). A Prefeitura de Campinas (SP) divulgou nesta quinta-feira (2) novo balanço que aponta mais 19 mortes pelo novo coronavírus na cidade, incluindo o primeiro caso fatal envolvendo uma puérpera. No total, a cidade atingiu 343 óbitos e chegou à marca de 8.995 casos confirmados, com 386 a mais nas últimas 24h. Veja os números divulgados nessa quinta: Confirmados: 8.995 (386 a mais) Em investigação: 628 (39 a mais) Descartados: 14.025 (321 a mais) Óbitos em investigação: 27 (1 a mais) Pessoas recuperadas: 7.083 (262 a mais) Pessoas internadas com covid: 422 (8 a mais) Pessoas em isolamento domiciliar 1.147 (97 a mais) Óbitos: 343 (19 a mais)
Veja Mais

02/07 - Depois do 'ciclone bomba', cidades do RS amanhecem com geada e temperaturas abaixo dos 2ºC
Massa de ar polar derrubou as mínimas na manhã desta quinta-feira (2). Municípios gaúchos registraram geada. Bagé registrou 1,2°C, segundo Inmet Patrick Corrêa/RBS TV Depois da passagem do ciclone extratropical, que recebeu o nome de "ciclone bomba", uma massa de ar polar derrubou as temperaturas, na manhã desta quinta-feira (2), no Rio Grande do Sul. Municípios gaúchos registraram geada. Segundo a Somar, em algumas cidades, principalmente na Região da Serra, choveu durante a madrugada, e devido às baixas temperaturas, não se descarta que alguns desses locais tenham tido chuva congelada. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Bagé, na Fronteira do RS, registrou 1,2ºC e sensação térmica de -3,5°C. Na Região Central, Caçapava do Sul teve 2,1°C, com sensação de -3,9°C, e São Gabriel, 2,3°C, com sensação de -1,3°C. Na Serra, Canela registrou 3,8°C, com sensação de -1,2°C, e São José dos Ausentes, 1,8°C. Sensação térmica em Cambará do Sul foi registrada por termômetro na rua: -2°C Divulgação/ Ecotours Turismo Cambará do Sul Veja as temperaturas Porto Alegre: 8,8°C, com sensação de 5,4°C Alegrete: 3,4°C, com sensação de -0,1°C Bagé: 1,2°C, com sensação de -3,5°C Bento Gonçalves: 4,8°C, com sensação de 1,4°C Caçapava do Sul: 2,1°C, com sensação de -3,9°C Camaquã: 6,9°C, com sensação de 2,5°C Campo Bom: 9,7°C, com sensação de 6,5°C Canela: 3,8°C, com sensação de -1,2°C Cruz Alta: 5,2°C, com sensação de 2,2°C Dom Pedrito: 1,4°C, com sensação de -2,1°C Ibirubá: 5,7°C, mesma sensação Jaguarão: 4,0°C, com sensação de -1,5°C Lagoa Vermelha: 5,1°C, com sensação de 1,3°C Quaraí: 1,2°C, com sensação de -2,5°C Rio Grande: 5,8°C, com sensação de -0,0°C Palmeira das Missões: 5,8°C, mesma sensação Rio Pardo: 7,1°C, com sensação de 2,9°C Santa Maria: 4,2°C, com sensação de 1,1°C Santa Rosa: 7,0°C, com sensação de 4,8°C Santa Vitória dos Palmar (Barra do Chuí): 5,6°C, com sensação de -0,2°C Santo Augusto: 6,9°C, mesma sensação São Borja: 8,5°C, mesma sensação São Gabriel: 2,3°C, com sensação de -1,3°C São José dos Ausentes: 1,8°C, mesma sensação São Luiz Gonzaga: 6,4°C, com sensação de 3,7°C São Vicente do Sul: 3,8°C, com sensação de 0,9°C Serafina Corrêa: 5,0°C, com sensação de 2,6°C Soledade: 4,3°C, com sensação de -0,2°C Teutônia: 8,5°C, com sensação de 4,4°C Tramandaí: 9,6°C, mesma sensação Tupanciretã: 3,8°C, com sensação de 0,4°C Uruguaiana: 4,0°C, com sensação de 0,0°C Vacaria: 3,8°C, com sensação de -0,8°C Santana do Livramento registrou geada Lucas Bello/RBS TV Previsão do tempo Frio aumenta no RS nesta quinta-feira (2); tempo firme predomina Nesta quinta-feira, o tempo firme volta a predominar na Rio Grande do Sul, com temperaturas bem baixas em todas as áreas do estado. Apenas no Litoral Norte, Região Metropolitana de Porto Alegre e serra gaúcha, há condições ainda para chuva fraca. Em relação aos ventos, ainda são esperadas rajadas de mais de 60km/h no litoral do estado. O alerta de ressaca marítima emitido pela Marinha do Brasil, com ondas de até 4 metros, ainda é válido para esta quinta. Sensação térmica foi negativa em Bagé Patrick Corrêa/RBS TV Cambará do Sul, na Serra, registrou frio nesta manhã Divulgação/Secretaria de Turismo de Cambará
Veja Mais

02/07 - Nove apostadores são presos pela prática de jogos de azar durante isolamento social em MT
Foram encontradas 12 caixas de baralho, duas maletas com fichas de poker, cadernos com anotações com valores das apostas e máquinas de cartão. Suspeitos foram encontrados praticando jogo de azar em uma casa em Primavera do Leste (MT) Polícia Militar/Divulgação Nove apostadores foram presos praticando jogos de azar em uma casa em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, nessa quarta-feira (1°). Segundo a Polícia Militar, o grupo também estaria causando aglomeração no local. Já que, conforme o decreto municipal n° 1.930 de 9 de junho, o isolamento social é obrigatório. De acordo com a polícia, os policiais encontraram o local após uma denúncia anônima. Polícia foi até o local e encontrou aglomeração PM-MT No local, foram encontradas 12 caixas de baralho, duas maletas com fichas de poker, cadernos com anotações com valores das apostas e máquinas de cartão. Os policiais também encontraram R$ 428 com o dono da casa. Todos os jogadores foram encaminhados à delegacia para prestar esclarecimentos. Materiais foram apreendidos PM-MT Veja mais notícias do estado no G1 Mato Grosso.
Veja Mais

02/07 - Namorados são presos em MS quando levavam drogas para o DF, onde moram
O casal foi preso em Campo Grande e receberia dinheiro para entregar a maconha em Ceilândia. Uma mulher de 33 anos e o namorado dela, de 41, ambos moradores de Ceilândia, no Distrito Federal, foram presos na noite de quarta-feira (01), no bairro Nova Lima, em Campo Grande, por tráfico de drogas. Segundo informações do boletim de ocorrência, o casal contou à polícia que saiu de Ceilândia com destino a Bela Vista já com o objetivo de buscar a droga. Na cidade que fica na fronteira com o Paraguai, o carro em que os namorados viajaram foi entregue a uma pessoa, a qual o devolveu com o entorpecente. O suspeito falou ainda que em Bela Vista alugou um caminhão guincho para transportar o carro até Campo Grande e seguiria dirigindo o veículo até Ceilândia. O casal foi preso quando descia o carro do guincho. Cães farejadores indicaram maconha no veículo, sendo apreendidos 36,4 quilos de maconha. Conforme o registro policial, os suspeitos disseram ainda que receberiam dinheiro para entregar a um homem, em Ceilândia, os 37 tabletes de maconha.
Veja Mais

02/07 - Policiais militares ficam feridos após motorista embrigado colidir com carro da corporação em Maracanaú, na Grande Fortaleza
Os agentes estavam realizando uma abordagem próximo à viatura, quando o veículo foi arremessado contra eles e outras duas pessoas. Três policiais militares e outras 2 pessoas ficaram feridos após colisão de um motorista embriagado com viatura policial Reprodução/SVM Três policiais militares ficaram feridos após serem atingidos pelo carro no qual eles faziam rondas na BR-020, em Maracanaú, na Grande Fortaleza, na noite desta quarta-feira (1°). O acidente ocorreu quando um motorista de uma van colidiu com a traseira do carro policial, arremessando o primeiro veículo em velocidade. O homem que causou o acidente estava sob o efeito de álcool, segundo a polícia. Conforme a Polícia Militar, os policiais e outras duas pessoas que eram abordadas no momento estavam próximos ao carro, quando este foi atingido pelo outro veículo, em alta velocidade. Todos foram encaminhados a uma unidade hospitalar. O condutor da van tentou fugir, mas foi detido. Até a manhã desta quinta-feira (2), os policiais ainda estavam sendo acompanhados por uma equipe médica. Não há informações sobre o estado de saúde dos outros envolvidos. O veículo do motorista teve a parte frontal destruída. A viatura da PM teve pequenos danos na parte traseira. A Polícia de Trânsito Urbano e Rodoviário Estadual (BPRE) foi acionada e constatou que o motorista responsável pela colisão estava embriagado, pelo teste do bafômetro. Ele foi conduzido à Delegacia Metropolitana de Maracanaú e autuado por omissão de socorro e direção perigosa.
Veja Mais

02/07 - UFJF realiza matrícula on-line de aprovados em editais de reclassificação do Pism e Sisu por conta da pandemia
As vagas ainda são referentes ao primeiro semestre de 2020. Processo deve ser feito entre os dias 6 e 15 de julho. UFJF UFJF/Divulgação A segunda etapa da matrícula dos convocados nos editais 4 e 5 de Reclassificação do Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism) e do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) será realizada online. A medida, em caráter excepcional foi tomada por conta da pandemia do novo coronavírus. O processo deve ser feito entre os dias 6 e 15 de julho nos dois campis da instituição. O sede em Juiz de Fora e também o de Governador Valadares. E, segundo a UFJF, a situação foi decidida após votação no Conselho Superior (Consu). Os editais referidos foram divulgados nos dias 11 e 20 de março. A segunda etapa da matrícula dos 237 candidatos convocados ainda é referente ao ingresso no primeiro semestre de 2020. A documentação exigida pode conferida na página da Coordenadoria de Assuntos e Registros Acadêmicos (Cdara). Conforme a UFJF, os candidatos que deixarem de enviar o e-mail contendo os documentos no prazo estipulado são considerados desistentes e perdem o direito à vaga. Matrícula De acordo com a resolução Nº 18/2020, os alunos selecionados para as vagas reservadas aos grupos A, B, C, D, ou E devem encaminhar todos os documentos e formulários de forma escaneada. A lista pode ser encontrada no Anexo 1 do Regulamento de Matrícula e a documentação deve ser enviada para o e-mail anexo1geral@ufjf.edu.br. Já os candidatos aprovados nos grupos A e B precisam enviar, adicionalmente, os documentos e formulários listados no Anexo 2 do Regulamento de Matrícula, incluindo o formulário de informações socioeconômicas. A documentação, também escaneada, deve ser encaminhada para o email anexo2renda@ufjf.edu.br . A instituição informou que não serão aceitos documentos enviados por candidatos convocados através de outros editais. Somente são consideradas as documentações de requerentes que tenham realizado a pré-matrícula on-line, nas datas estipuladas pela Cdara. O deferimento do candidato é condicionado ao atendimento de todos os requisitos estabelecidos no regulamento e na legislação aplicável. Todas as informações sobre os procedimentos de recurso e análise estão disponíveis no site da instituição. Banca de heteroidentificação Os candidatos selecionados para as vagas reservadas para negros (pretos ou pardos) e indígenas devem, obrigatoriamente, submeter-se à Banca de Heteroidentificação, que será realizada na modalidade presencial, em momento posterior à matrícula remota, conforme resolução aprovada pelo Consu. A UFJF informou que, em momento oportuno, esses estudantes serão convocados, através do endereço eletrônico cadastrado no Sistema Integrado de Gestão Acadêmica (Siga). Dados sobre data, horário e local para o comparecimento para a entrega da “Autodeclaração para Preto, Pardo e Indígena” e participação no procedimento de heteroidentificação também serão divulgadas na página da Cdara. É importante destacar que, enquanto o estudante não for submetido ao procedimento de heteroidentificação e for comprovada a condição de participante do grupo de reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas, a matrícula não será efetivada, permanecendo com o status “em análise”. Suporte Entre os dias 6 e 15 de julho, a Central de Atendimento (CAT) em Juiz de Fora vai oferecer suporte de scanner e computador para os candidatos que precisem usar algum dos equipamentos para o envio da documentação para o ato de matrícula. Além disso, também haverá a presença de um representante da Cdara para dar suporte às demandas que forem apresentadas. É recomendado que os interessados agendem um horário prévio, entre 13h e 17h, para evitar aglomerações no setor, diante do cenário de pandemia. Os agendamentos devem ser feitos por meio de telefone ou Whatsapp no número (32) 2102-3911 ou pelo e-mail faleconosco@ufjf.edu.br. Em Governador Valadares, o suporte será oferecido pelo Setor de Graduação, com agendamento pelo e-mail graduacao.gv@ufjf.edu.br.
Veja Mais

02/07 - Casos de coronavírus confirmados na região de Presidente Prudente em 2 de julho
Novos casos confirmados de Covid-19 foram divulgados nesta quinta-feira (2), por meio das Secretarias Municipais de Saúde, na região de Presidente Prudente. João Ramalho Em João Ramalho, mais quatro casos deram positivo para o novo coronavírus. Entre eles, uma das confirmações é de uma morte. O município tem 11 confirmações da Covid-19. Mirante do Paranapanema Mais um caso positivo da Covid-19 foi confirmado em Mirante do Paranapanema. O paciente é um homem, que cumpre isolamento domiciliar. A cidade agora tem 12 confirmações da doença. Santo Anastácio Santo Anastácio teve mais duas confirmações da Covid-19. Agora, são 37 registros na cidade, que ainda possui 30 casos em investigação. Panorama Em Panorama, a Prefeitura confirmou mais um caso de coronavírus. Com este, a cidade chega aos 20. O município ainda aguarda resultados de 24 exames. Panorama ainda aguarda o resultado de uma morte suspeita. Um homem, morador da cidade, morreu em Dracena. Ele tinha pressão alta e diabetes. O teste para a Covid-19 foi feito após o óbito. Ouro Verde O segunda caso da Covid-19 foi confirmado em Ouro Verde. A paciente é uma menina, de 4 anos, filha da primeira vítima da doença no município. O restante da família testou negativo para o novo coronavírus. A cidade segue com três suspeitas em investigação. Martinópolis Martinópolis confirmou mais seis casos de coronavírus. Os pacientes são uma mulher, de 47 anos, uma mulher, de 55 anos, e uma idosa, de 81 anos, sendo que essa última está internada na Santa Casa da cidade. Ainda foram confirmados casos da Covid-19 em um homem, de 59 anos, um outro de 68 e o último de 97 anos, que está internado na Santa Casa local. A cidade contabiliza 54 registros positivos e 48 aguardando resultados. Osvaldo Cruz A Vigilância Epidemiológica de Osvaldo Cruz confirmou que subiu de 10 para 11 o número de infectados pela Covid-19 no município. Os dois novos casos são pacientes que se encontram em isolamento domiciliar e seus estados de saúde são bons. Os pacientes estão sendo observados por equipes de Saúde. Há ainda 8 suspeitos e 71 casos descartados. Initial plugin text Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.
Veja Mais

02/07 - Prefeitura interdita novo trecho da Leopoldino de Oliveira em Uberaba para reestruturação de asfalto do corredor BRT
Por causa da obra, Estação 5 - Conde Prados foi interditada temporariamente no sentido leste. Motoristas e pedestres devem ficar atentos. Obra reestruturação do asfalto Avenida Leopoldino de Oliveira Uberaba Fernanda Borges/Divulgação Novo trecho da Avenida Leopoldino de Oliveira, em Uberaba, foi interditado a partir de quarta-feira (1º) para a continuidade da obra de reestruturação e recuperação da pista do corredor BRT Leste/Oeste. O serviço, que deve ser concluído na próxima quarta-feira (8), afetou o trânsito e o funcionamento da Estação 5 - Conde Prados. De acordo com o superintendente de Obras, Fernando Berto, entre as ruas Conde Prados e Tenente Venceslau Oliveira, será permitido somente trânsito local no sentido bairro/Centro. O mesmo ocorre na Rua Teixeira de Freitas, entre a Rua dos Andradas e a Avenida Leopoldino de Oliveira; e na Rua Maestro Carlos Maria Nascimento, entre a Rua João Prata e a Avenida Leopoldino de Oliveira. O superintendente de Transporte Público, Claudinei Nunes, disse que, por causa da obra, a Estação 5 - Conde Prados, permanecerá interditada no sentido leste. Nesse caso, os ônibus do BRT/Vetor seguirão pela Avenida Leopoldino de Oliveira acessando a Rua João Quintino Júnior, passando pela Rua dos Andradas até à Rua Tenente Venceslau de Oliveira e retornando à Leopoldino de Oliveira. Obra A obra de reestruturação e recapeamento, drenagem pluvial, sinalização viária da via, entre outras ações, começou no dia 17 de março. O serviço é feito em etapas e, de acordo com a Prefeitura, a proposta é corrigir os danos na estrutura asfáltica que não atende ao fluxo dos ônibus do sistema BRT/Vetor. “Além da reestruturação e recuperação asfáltica, o projeto consiste em nova iluminação de LED, arborização, construção de novas bocas de lobo, drenagem pluvial, dentre outras ações. Vamos deixar tudo em ordem”, pontuou o prefeito Paulo Piau (MDB). No final de maio, a Secretaria de Serviços Urbanos e Obras (Sesurb) recolheu material asfáltico da avenida para atestar a qualidade e resistência do pavimento da via. Segundo a Prefeitura, os testes de qualidade foram realizados porque os asfaltos não resistiram ao peso dos ônibus do BRT. Por isso, são feitas correções estruturais em toda a via asfáltica melhorando a qualidade e, em consequência, melhorando a mobilidade do trânsito.
Veja Mais

02/07 - Santos libera a vacinação contra a gripe para toda a população
Interessados podem receber a vacina contra a gripe em qualquer uma das 31 policlínicas do município. Santos disponibiliza vacinação contra a gripe para todos os moradores Divulgação/Prefeitura de Santos A Secretaria de Saúde de Santos, no litoral de São Paulo, passou a disponibilizar a vacinação contra a gripe para todos os moradores. De acordo com a prefeitura, os interessados podem receber a vacina de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h, em qualquer uma das 31 policlínicas do município. Segundo a administração municipal, a vacinação geral passou a ser feita desde a última quarta-feira (1º), conforme determinação da Secretaria de Estado de Saúde para redução de pacientes com síndromes respiratórias. Parte do estoque é voltado à vacinação de crianças com até dois anos, cuja imunização acontece de forma fracionada, sendo aplicada a segunda dose 30 dias após a primeira. A Secretaria Municipal de Saúde ressalta, ainda, que as crianças com idade entre seis meses e 5 anos são o único público-alvo cuja meta de vacinação de 90% não foi atingida. Destes, 79% foi imunizados, conforme explica a prefeitura. A expectativa é de que, com a disponibilização da vacina para todos os moradores, mais crianças sejam vacinadas na campanha. A vacina contra a gripe não é recomendada para pessoas com febre ou que se recuperam dos sintomas, aos moradores com alergia a ovo, histórico de anafilaxia ou que tiveram síndrome de Guillain-Barré em até 30 dias após receber a dose anterior. Nesse caso, a prefeitura explica que é necessário fazer uma avaliação médica para receber a liberação para a dose. Confira os locais de vacinação: Policlínica Alemoa e Chico de Paula - Rua Afonsina Proost de Souza, Alemoa Policlínica Aparecida - Avenida Pedro Lessa, 1.728 Policlínica Bom Retiro - Rua João Fraccaroli Policlínica Campo Grande - Rua Carvalho de Mendonça, 607 Policlínica Conselheiro Nébias - Avenida Conselheiro Nébias, 514, Encruzilhada Policlínica Embaré - Praça Coronel Fernando Prestes Policlínica Gonzaga - Rua Assis Correia, 17 Policlínica Jabaquara - Avenida Rangel Pestana, 47 Policlínica José Menino/Pompeia - Avenida Floriano Peixoto, 201 Policlínica Marapé - Rua São Judas Tadeu, 115 Centro de Saúde Martins Fontes - Rua Luiza Macuco, 40, Vila Mathias Policlínica Morro Nova Cintra - Rua José Ozéas Barbosa Policlínica Ponta da Praia - Praça 1º de Maio Unidade de Cuidado do Porto - Rua General Câmara, 507, Paquetá Policlínica Rádio Clube - Avenida Hugo Maia Policlínica Vila Nova - Praça Iguatemi Martins Policlínica Morro São Bento - Rua das Pedras Policlínica Vila São Jorge e Caneleira - Rua Francisco Ferreira Canto, 351 Policlínica São Manoel - Praça Nicolau Geraigire Policlínica Piratininga - Praça João de Moraes Chaves Policlínica Vila Mathias - Rua Xavier Pinheiro, 284 Policlínica Valongo - Rua Prof. Maria Neusa Cunha, Saboó Policlínica Caruara - Rua Andrade Soares, Área Continental Policlínica Monte Cabrão - Av. Principal, Área Continental Policlínica Monte Serrat - Praça Correia de Melo Policlínica Morro da Penha - Rua Três, 150 Policlínica Morro José Menino - Rua Doutor Carlos Alberto Curado, 77 A Policlínica Morro Vila Progresso - Rua Três, casas 1 e 2 - Vila Telma Policlínica Morro Santa Maria - Rua 10 Policlínica Areia Branca - Rua Francisco Lourenço Gomes, 118 Policlínica Castelo - Rua Francisco de Barros Melo, 184
Veja Mais

02/07 - Cão que ficou cego após tentarem arrancar seus olhos recebe alta e é levado para abrigo
Duck ficará no abrigo apenas por dez dias. O cachorro deverá voltar ao hospital para retirar os pontos e, após uma reavaliação do seu estado de saúde, poderá retornar para os seus donos que moram em Luzilândia. Duque após receber alta do hospital nessa quarta-feira (1°) Divulgação /PC-PI O cão Duck recebeu alta do Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí (UFPI) nessa quarta-feira (1°) e foi levado para um abrigo em Teresina. O cachorro teve os olhos perfurados e acabou ficando cego. O caso aconteceu em Luzilândia no último sábado (27) e gerou grande repercussão na cidade. A Polícia Civil investiga o crime. Nas redes sociais, o abrigo informou que Duck ficará sob a responsabilidade dos voluntários por dez dias. O cachorro deverá voltar ao hospital para retirar os pontos e, após uma reavaliação do seu estado de saúde, poderá retornar para os seus donos que moram em Luzilândia. Initial plugin text A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar o caso. Segundo o delegado Renato Pinheiro, responsável pela investigação, a porta da residência da família estava aberta quando o cachorro saiu. Os donos informaram que Duck tinha o costume de sair sozinho de casa. Ao retornar, o cachorro apareceu com lesões nos globos oculares. Na segunda-feira (29), Duck deu entrada no HVU da UFPI e passou por um procedimento cirúrgico. O exame de corpo de delito apontou que o cão não foi lesionado por outro animal, mas sim por um instrumento perfurante. O delegado Renato Pinheiro afirmou ao G1 na noite desta quarta-feira (1°) que, até o momento, ninguém foi preso e que não pode informar mais detalhes sobre as investigações.
Veja Mais

02/07 - Estudantes de SP terão que ser acompanhados até 2022 para recuperar prejuízo, diz secretário de Educação
Rossieli Soares defendeu nesta quinta (2) que impacto da pandemia no ensino não será recuperado em um ou dois meses. Secretário também afirma que pasta está fazendo 'recorte de habilidades' para avaliar prioridades. Secretário de Educação de SP fala sobre desafios do retorno às aulas O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, disse em entrevista à Globonews na manhã desta quinta-feira (2), que se as aulas nas escolas puderem voltar no dia 8 de setembro como previsto pelo governo, os prejuízos destes meses de pandemia não serão recuperados em um ou dois meses. Pelo plano do governo, as aulas serão retomadas se o estado estiver há pelo menos 28 dias na fase amarela de flexibilização. "A gente vai ter que ter um olhar para todos pelo menos o ano inteiro de 2021, e no meu entendimento, até o final de 2022 para recuperar o prejuízo que a gente está tendo esse ano", disse Rossieli. O secretário também contou que a secretaria está fazendo um "recorte de habilidades" do currículo escolar para avaliar as que terão prioridade primeiro. "Português, matemática, filosofia, história, todas as disciplinas lá estão [no currículo] mas temos habilidades que são mais importantes". Rossieli disse também que a secretaria tem um planejamento da retomada, mas que serão feitos diagnósticos recorrentes para avaliar cada nova etapa. Retomada gradual A proposta de retomada das aulas nas escolas do governo estadual prevê: retorno geral das aulas presenciais, em conjunto para todas as cidades, a partir 8 de setembro – pelo plano, nessa data, o estado estará há 28 dias na fase amarela de flexibilização da economia; retomada das aulas presenciais para todas as etapas escolares – creches, educação infantil, ensino fundamental e ensino médio; retorno para redes públicas e privadas; no ensino técnico, no profissionalizante e no superior, os alunos formandos poderão ter aulas nos laboratórios para cumprir seus créditos e concluir os cursos – no geral, o ensino superior terá regras específicas e ligadas ao Plano São Paulo; três etapas de retomadas das aulas: a 1ª será com 35% dos alunos, a 2ª com 70% e a 3ª e última com 100% dos alunos; estudantes que ainda não estiverem indo às escolas deverão continuar assistindo às aulas on-line; protocolos de higiene e distanciamento devem ser cumpridos pelas instituições; distanciamento de 1,5 metro entre os estudantes – mas esse distanciamento tem exceções, como nas creches, já que não há como aplicar a medida entre bebês e cuidadores (a orientação para tais casos, entretanto, não foi apresentada pelo governo); disponibilização, pelo Governo de SP, de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) aos funcionários das escolas; distribuição de máscaras aos estudantes e funcionários – o uso será obrigatório, e o aluno não poderá permanecer na escola se estiver sem máscara; professores pertencentes ao grupo de risco deverão seguir com as atividades de forma remota; medição da temperatura dos estudantes na entrada da escola – os pais também deverão medi-la antes de seus filhos saírem de casa, e, caso ela esteja acima de 37,5°, a recomendação é não ir à escola; proibição do uso dos bebedouros, que são comuns em escolas – será fornecida uma caneca aos estudantes e todos os profissionais; intervalos e recreios em revezamento de turmas e com horários alternados; e horários de entrada e saída organizados para evitar aglomeração – e preferencialmente fora dos horários de pico do transporte público. Initial plugin text
Veja Mais

02/07 - Mercado de trabalho em Odontologia segue em alta e apresenta novas tendências
Graduação da Universidade de Fortaleza é referencial de excelência no ensino odontológico. Marlio Ximenes é coordenador do curso de Odontologia da Universidade de Fortaleza, que detém 4 estrelas no Guia do Estudante. Ares Soares O cirurgião-dentista é o profissional que atua nos cuidados da saúde bucal, por meio de restauração, remoção e limpeza dos dentes. Realiza ações preventivas, projeta e instala próteses, realiza cirurgias, e além disso, trata doenças na língua, gengiva e bochecha. No mercado de trabalho o cirurgião-dentista pode exercer sua função em clínicas odontológicas e em consultórios de terceiros ou atuar como autônomo, gerindo sua própria clínica. O profissional também pode investir em concursos para órgãos públicos ou seguir carreira acadêmica. Atualmente, mesmo com a crise sanitária gerada pela pandemia de Covid-10 no país, a prática odontológica continua em alta, visando a promoção e a prevenção da saúde bucal de todos. Dessa forma, os pacientes seguem procurando os consultórios odontológicos a fim de evitar complicações e garantir que a saúde bucal esteja em dia. Contudo, é preciso ter cautela e maior atenção durante o atendimento. Profissionais do ramo precisaram aumentar os protocolos de biossegurança e se adequar aos novos tempos. É o que explica o coordenador do curso de Odontologia da Universidade de Fortaleza, da Fundação Edson Queiroz, Marlio Ximenes. “Agora é obrigatória a utilização da máscara N95, praticar maior troca dos equipamentos de proteção e realizar o tratamento do ar-condicionado. A rotina fora do consultório teve impacto maior. O contato pré-atendimento exige o afastamento, assim como o uso de máscaras pelos pacientes. O agendamento se tornou mais espaçado, tivemos mais impactos durante as pré-consultas do que no interior do consultório, uma vez que os hábitos adotados eram parte da rotina diária do consultório, como uso do avental e gorro”, informa. Segundo Marlio, o atendimento passará por uma transformação e o relacionamento com o paciente será intensificado no ambiente virtual. “Muitos profissionais estão usando o ambiente online para fazer uma pré-anamnese. Inclusive para conhecer o paciente e garantir a segurança da equipe. A utilização dessas ferramentas não era tão frequente, mas tende a se popularizar. A forma de se relacionar vai modificar o cenário. Vai se sair melhor quem se adaptar ao momento e conseguir fazer um plano de negócio que incorpore essas novas práticas, de forma que não torne o atendimento desconfortável para os pacientes”. A experiência de quem está no mercado Fábio Herlen Divulgação Desde criança Fábio Herlen, egresso do curso de Odontologia da Unifor e mestre em Clínica Odontológica pela Pós-Unifor, sonhava em ser cirurgião-dentista. O menino nunca teve dúvidas da sua escolha profissional. “O sorriso sempre me chamou atenção, por isso quis cuidar dele. Tenho uma tia que é cirurgiã-dentista, por quem eu nutri ao longo da vida muita admiração. Isso refletiu também na minha escolha profissional”. Atualmente, Fábio trabalha com Reabilitação Oral e Disfunção Temporomandibular. “Quando concluí a graduação em 2012.1, ingressei na Especialização de Prótese Dentária, em seguida, cursei a Especialização em DTM e Dor Orofacial. Comecei, então, a atuar no Serviço Público (Programa Saúde da Família). Durante esse tempo também montei meu consultório particular. Três anos atrás passei em uma seleção para atuar nas forças armadas. Hoje, sou cirurgião-dentista da Aeronáutica e atendo também no meu consultório”, relata Fábio. Gestão Hospitalar Felipe Carvalho Divulgação O profissional Felipe Carvalho, também egresso do curso de Odontologia da Unifor, é especialista em Gestão Hospitalar e mestrando em Saúde da Família, na cidade de Sobral (CE), onde reside atualmente. Atua como Diretor Geral do Centro de Especialidades Odontológicas Regional e Conselheiro do Conselho Regional de Odontologia do Ceará, no qual foi eleito pela maioria dos votos da classe odontológica. “Hoje não clinico mais, estou na gestão de uma unidade de saúde do Sistema Único de Saúde. Foi onde me encontrei”. O profissional conta como foi sua experiência anteriormente, quando atuou como cirurgião-dentista em consultório particular em Fortaleza, entre 2002 a 2008, quando mudou-se para a cidade de Sobral, onde começou a atuar no serviço público, entre 2008 e 2015. Desde então, trabalha com gestão hospitalar. “Na clínica sempre fiz Endodontia, tratamento de canal. Esta foi minha primeira especialização. No serviço público, em Sobral, atuei no Centro Especializado de Odontologia (CEO) da prefeitura, depois fui para a gestão do CEO do Ceará”, explica Felipe. Como gestor, Felipe foi coordenador de Saúde Bucal e também Diretor Geral do CEO de Sobral, logo após passou por seleção pública para assumir o cargo de Diretor Geral do CEO Regional, sendo uma parte da gestão estadual. “Gerencio 25 dentistas e 54 funcionários. Atendemos pacientes de 24 municípios com sete especialidades ofertadas. Endodontia, Periodontia, Prótese Dentária, Cirurgia Buco Maxilo Facial, Ortodontia, Odontopediatria e Atendimento a Pacientes com Necessidades Especiais”, afirma o profissional. Atuação profissional Com forte potencial de empregabilidade, a Odontologia é para quem quer cuidar da saúde bucal das pessoas ao estar capacitado para identificar os problemas bucais em pacientes e em grupos populacionais, realizar procedimentos para a sua prevenção, diagnóstico, tratamento e controle, tendo como referência a promoção da saúde tanto no âmbito público quanto no privado. O profissional formado na área pode trabalhar de diferentes formas: como autônomo, gerindo seu próprio negócio e atendendo conforme sua especialidade; individualmente ou em equipe, em ambientes como consultórios, clínicas, hospitais, empresas privadas ou em instituições de ensino superior. Estude Odontologia na Unifor Se você sonha em cursar Odontologia, não perca mais tempo e ingresse na Universidade de Fortaleza, uma das melhores universidades do mundo com até 50 anos, segundo THE Young University Ranking, elaborado pela Times Higher Education (THE), entidade britânica que produz a principal avaliação internacional do segmento de educação. A graduação da Unifor possui cinco anos de duração. Sendo a primeira do Brasil a adotar o sistema de empréstimo de todos os instrumentais ao corpo de alunos da Odontologia. Isso possibilita uma redução significativa dos custos do curso. Com mais de 21 anos de atuação, o curso conquistou posição de excelência no cenário nacional e se consolidou como referência de qualidade no ensino odontológico. Com 4 estrelas no Guia do Estudante e Nota 4 em Conceito de Curso (CC), nota final de qualidade dada pelo MEC, o curso é destaque no desenvolvimento de pesquisas e na formação de profissionais capazes de prevenir, diagnosticar, planejar e tratar as mais diversas situações que afetam a saúde bucal. Ingresse em uma das maiores instituições de ensino superior do mundo. Traga seu curso para a Unifor e ganhe até 40% de bolsa até o final do curso*. Garanta sua vaga sem sair de casa. No site oficial da Unifor, você pode realizar sua inscrição e acompanhar todo o processo online. O retorno sai em até 48 horas. *exceto Medicina Confira as regras aqui.
Veja Mais

02/07 - Produção de petróleo do Brasil cai 6,5% em maio ante abril com impacto de pandemia
Na comparação com maio do ano passado, porém, houve alta de 1,3%. A produção de petróleo do Brasil em maio somou 2,765 milhões de barris por dia, com alta de 1,3% na comparação anual, mas recuo de 6,5% frente a abril devido a impactos da pandemia de coronavírus sobre o setor, disse a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta quinta-feira (2). A produção de gás natural teve recuo tanto em base mensal quanto anual, de 7,8% e 3%, respectivamente, e atingiu 114 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d). A ANP disse que 34 campos de petróleo e gás tiveram operações interrompidas temporariamente durante o mês de maio devido a efeitos da Covid-19, sendo 16 marítimos e 18 terrestres. "Um total de 60 instalações marítimas permaneceram com produção interrompida durante o mês de maio, devido aos efeitos da pandemia", acrescentou a agência, em boletim de produção. Arrecadação com royalties do petróleo tomba 30,8% em maio e pode cair mais de R$ 12 bilhões em 2020
Veja Mais

02/07 - 'Tudo depende de provas', diz Ibaneis sobre suspeita de baixa qualidade em testes para Covid-19
Governador do DF afirma que kits têm 'qualidade comprovada por especialistas' e cita que 12 mil foram descartados desde início da pandemia. Operação do Ministério Público apontou possível superfaturamento na compra. Polícia faz buscas no Laboratório Central do DF, nesta quinta (2), em investigação sobre compra de testes de coronavírus TV Globo/Reprodução O governador Ibaneis Rocha (MDB) disse ao G1, nesta quinta-feira (2), que os testes rápidos usados para diagnóstico da Covid-19 no Distrito Federal têm "qualidade comprovada por especialistas". As declarações foram feitas ao mesmo tempo em que ocorre uma investigação do Ministério Público (MPDFT) que aponta irregularidades na compra dos exames. Questionado sobre as suspeitas de que os kits foram trocados por outros, de qualidade inferior, o governador afirmou que vai aguardar o fim da apuração. Ele disse ainda que os alvos, incluindo o diretor do Laboratório Central do DF (Lacen) Jorge Antônio Chamon Júnior, são "pessoas de altíssima confiança". "Tudo depende de provas. Não dá para dizer que existiu conluio entre funcionários e a empresa. Duvido muito que tenham praticado irregularidades. Eles são funcionários de carreira da Saúde e sabem que estão sendo acompanhados." Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), em pronunciamento Renato Alves/Agência Brasília O governador informou também que, desde o início da pandemia, 12 mil kits de testes foram descartados por não terem a eficácia comprovada pelo Laacen. Apesar da declaração, mas sem se referir diretamente às compras feitas pelo DF, Ibaneis reconheceu que durante a pandemia do novo coronavírus, auditorias apontaram superfaturamento e outras irregularidades na compra de insumos da saúde. "Sabemos que durante esse período várias empresas, de vários estados, subiram os preços de alguns produtos. Ninguém conseguia encontrar testes no mercado, isso aconteceu em vários locais", afirmou o governador. "Quando quebrarem o sigilo vou avaliar se há participação efetiva dos servidores para tomar as medidas administrativas." 'Falso Positivo' A operação, que foi denominada "Falso Negativo", começou após investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, e tem apoio da Polícia Civil. Moradora do DF recebe resultado negativo para coronavírus antes mesmo de fazer teste A ação nas ruas, deflagrada no início da manhã, ocorreu em sete estados (GO, RJ, SP, PR, SC, BA e ES), além do DF. Resumo: As investigações apontam suspeita de superfaturamento nas compras e de baixa qualidade dos testes, que podem dar falso resultado negativo. O prejuízo aos cofres públicos com as compras superfaturadas é estimado, segundo a investigação, em cerca de R$ 30 milhões, de um total de R$ 74 milhões em compras. São investigados os possíveis crimes de fraude a licitação, organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e cartel. A operação cumpre 74 mandados de busca e apreensão em mais de 20 cidades. Entre os endereços alvo dos mandados estão o Laboratório Central do DF, a Farmácia Central, a Secretaria de Saúde do DF e residências dos responsáveis pelas compras. Compras foram feitas com dispensa de licitação. Operação investiga compra de testes de Covid-19 pelo Distrito Federal A operação ocorre em meio à disparada de casos de Covid-19 no DF. A divulgação de dados de ocupação de leitos de UTI pelo governo está sendo questionada na Justiça pelo MP. O governador Ibaneis declarou estado de calamidade pública por conta da pandemia, o que flexibiliza os gastos da administração pública. Entre os alvos, estão o subsecretário de Administração Geral da Secretaria de Saúde do DF, Iohan Andrade Struck, e o diretor do Laboratório Central do DF, Jorge Antônio Chamon Júnior. Testes falhos e licitações fraudadas Segundo investigadores, servidores da Secretaria de Saúde do DF se organizaram para fraudar licitações e para comprar testes rápido, do tipo IgG/IgM, com preços superfaturados. Ainda segundo a investigação, houve troca de marcas de testes por outras de qualidade inferior, o que contribui para o resultado falso negativo. Em nota, a Secretaria de Saúde do DF informou, por meio de nota, que "todos os testes adquiridos, recebidos por meio de doações ou enviados pelo Ministério da Saúde, tem o certificado da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa - e portanto foram testados e aprovados pelo órgão Federal". Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Veja Mais

02/07 - Senai faz manutenção de respiradores e equipamentos hospitalares em parceira de empresas em RR
Manutenção é voluntária e ocorre para contribuir no combate ao coronavírus no estado. Senai e empresas roraimenses realizam manutenção de aparelhos hospitalares gratuitamente O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial em Roraima (Senai-RR) em parceria com empresas do estado tem feito a manutenção de respiradores mecânicos e equipamentos hospitalares. Os reparos são feitos de forma voluntária. Até agora, cerca de 104 aparelhos foram entregues para manutenção. Entre eles, havia 15 ventiladores pulmonares, 10 respiradores e três respiradores pulmonares. Os equipamentos passam por um processo de higienização antes de chegar às mãos dos engenheiros. Após a manutenção, são devolvidos para as unidades hospitalares prontos para uso. Ja foram recuperados 59 aparelhos. Estima-se que cada respirador recuperado possa salvar até 10 pessoas com Covid-19. Além dos reparos em respirados, outros aparelhos hospitalares também passam por manutenção. Os respiradores hospitalares são equipamentos essenciais no tratamento de pessoas com sintomas graves de infectados pelo coronavírus.
Veja Mais

02/07 - Veja as últimas notícias sobre o novo coronavírus em MT
Veja as últimas notícias sobre o novo coronavírus em MT MT tem 17.401 casos confirmados de Covid-19 e 665 mortes
Veja Mais

02/07 - Empresário de 46 anos que não tinha outras doenças morre de Covid-19 em MT
Eduardo Filho estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Sinop. Eduardo Ribeiro Filho, de 46 anos, morreu de Covid-19 Arquivo pessoal O empresário Eduardo Ribeiro Filho, de 46 anos, morreu nessa quarta-feira (1º), em Sorriso, na região norte do estado, com diagnóstico de Covid-19. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Sinop. Segundo a Secretaria de Saúde de Sorriso, Eduardo não possuía comorbidades. Veja as últimas notícias sobre o novo coronavírus em MT Outra morte foi registrada no mesmo dia em Sorriso, de um paciente de 49 anos, morador do Bairro Vitória Régia. Ele estava internado desde o dia 15 de junho e faleceu nesta terça-feira, na UTI do Hospital Regional de Sinop. Conforme a Secretaria de Saúde, ele tinha como fator de risco a hipertensão. Com mais essas duas morte, Sorriso soma 13 óbitos pela Covid-19 e mais três estão sob investigação. Desse total, 83% das vítimas eram homens.
Veja Mais

02/07 - Servidores da saúde pedem melhorias na estrutura do Hospital Júlia Kubitscheck no tratamento da Covid-19
Técnicos de enfermagem denunciam a falta de medicamentos e sobrecarga de trabalho na unidade. Servidores da saúde fazem manifestação na porta do Hospital Júlia Kubitscheck Danilo Girundi / TV Globo Servidores do Hospital Júlia Kubitscheck, em Belo Horizonte, fizeram uma manifestação na manhã desta quinta-feira (2), na porta da unidade. Eles reivindicam melhores condições de trabalho, desde que o hospital passou a ser referência no tratamento da Covid-19. De acordo com os manifestantes, desde que o governo do estado abriu novos leitos no Júlia Kubitscheck, o estoque de medicamentos ficou comprometido. Os manifestantes também reclamam da estrutura oferecida pelo estado e reclamam da sobrecarga de trabalho. O outro lado De acordo com a Fhemig, o Hospital Júlia Kubitscheck atende exclusivamente os casos suspeitos de Covid-19. Tem 45 leitos de enfermaria, com 80% de ocupação e mais 40 leitos de UTI, com 70% de ocupação. A Fhemig informou, ainda, que a unidade também disponibiliza para os pacientes de coronavírus um serviço de diagnóstico, que inclui tomografia, endoscopia, ultrassonografia e demais exames clínicos necessários nessa assistência. Todos leitos da UTI são equipados com respiradores, monitores e demais aparelhos essenciais à assistência aos pacientes de covid-19. Ainda de acordo com o a fundação, o quadro de funcionários tem sido reforçado com a abertura de chamamentos emergenciais, sendo que o último teve resultado divulgado na terça-feira (30). Segundo a Fhemig, essas vagas acompanham o aumento da demanda.
Veja Mais

02/07 - Apostas de Sorocaba e Itapetininga dividem prêmio milionário da Lotofáfcil
Terceiro ganhador é de Sumaré (SP). Três apostas dividiram prêmio de mais de R$ 2,6 milhões e cada uma levou quase R$ 900 mil. Volante da Lotofácil - Loteria da Caixa Econômica Federal Eduardo Ribeiro Jr./G1 Três apostadores de São Paulo dividiram o prêmio milionário da Lotofácil sorteado nesta quarta-feira (1º). Os ganhadores são de Sorocaba, Itapetininga e Sumaré (SP). Cada um levou R$ 895.149,47. O prêmio principal (com 15 acertos) do concurso 1987 da Lotofácil foi de mais de R$ 2,6 milhões. Confira os números sorteados do concurso 1987, realizado nesta quarta-feira: 02, 03, 04, 05, 06, 10, 11, 12, 13, 15, 16, 17, 19, 21 e 22. Segundo a Caixa, as três apostas foram jogos simples, que custa R$ 2,50. O apostador de Sorocaba fez o jogo em uma lotérica do bairro Central Parque. Já o prêmio que saiu para Itapetininga foi feito pelo site da Caixa. Outras 392 apostas ganharam, cada uma, R$ 2.107,89 na segunda faixa de premiação, com 14 acertos. A Lotofácil também premia os acertadores de 13, 12 e 11 números, com R$ 25, R$ 10 e R$ 5, respectivamente, para cada aposta. O sorteio foi realizado no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo. Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí
Veja Mais

02/07 - Família procura mulher que desapareceu após deixar filha com ex-marido em Araçariguama
Elisângela Ribeiro, de 33 anos, está desaparecida desde sexta-feira (26). Segundo a família, ela foi vista pela última vez entrando em um carro prata. Elisângela Ribeiro, de 33 anos, está desaparecida desde a última sexta-feira, 26 de junho, em Araçariguama (SP) Arquivo pessoal Uma moradora de Araçariguama (SP) está desaparecida desde a última sexta-feira (26), quando deixou a filha de oito anos com o ex-marido. Segundo a família de Elisângela Ribeiro, de 33 anos, ela foi vista pela última vez na região da Rua Pernambuco, no Lava-Pés. A jovem teria deixado a filha com o ex-marido e entrado em um carro prata. Depois disso, não houve mais contato. A família achou que ela havia ido a uma festa, como fazia sempre. Mas, como a jovem não responde às mensagens e o celular dela está desligado, o que não seria comum, eles decidiram registrar um boletim de ocorrência. Os investigadores irão utilizar câmeras de segurança da região em que Elisângela desapareceu para descobrir onde ela pode ter ido. A família também disponibilizou um telefone para quem tiver qualquer informação sobre a jovem: (11) 98569-8359 (Dayane Ribeiro). *Com informações de Rafaela Zem/TV TEM. Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí
Veja Mais

02/07 - VÍDEOS: Bom Dia MS de quinta-feira, 2 de julho de 2020
Assista aos vídeos do telejornal com notícias de Mato Grosso do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com notícias de Mato Grosso do Sul.
Veja Mais

02/07 - MP-PR pede que mortes de oito idosos em asilo de Londrina por Covid-19 sejam investigadas
MP-PR quer saber se houve omissão ou negligência por parte dos responsáveis pela saúde dos idosos no asilo. Ministério Público pediu abertura de inquérito para investigar morte de idosos em asilo O Ministério Público do Paraná (MP-PR) pediu a abertura de um inquérito para apurar mortes pela Covid-19 em um asilo de Londrina, no norte do Paraná. Oito idosos faleceram na instituição. CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias DÚVIDAS: Perguntas e respostas sobre o assunto BEM AQUI: RPC tem plataforma com estabelecimentos e serviços que estão atendendo O MP-PR já tinha aberto um procedimento interno para juntar documentos e avaliar a situação. Agora, pediu para que a Polícia Civil também abra um inquérito para apurar se houve omissão ou negligência por parte dos responsáveis pela saúde dos idosos no asilo. O G1 tenta contato com o asilo para comentar o caso. Depoimentos e documentos O MP-PR pediu que a Polícia Civil tome depoimentos e analise documentos para responsabilizar eventuais culpados. Além das oito mortes, mais de 20 idosos apresentaram sintomas do novo coronavírus no asilo. A promotoria ainda pediu para que a Prefeitura de Londrina proíba a internação de mais idosos nesse asilo até que a situação seja regularizada. Londrina tem, atualmente, 21 asilos com cerca de 600 idosos abrigados. A procuradoria também quer que seja feita testagem em massa nesses idosos. Mas, por enquanto, esse pedido não teve uma resposta efetiva. Os idosos têm sido monitorados, os casos graves atendidos e as visitas estão suspensas. Oito idosos morreram de Covid-19 em asilo de Londrina G1 Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Veja Mais

02/07 - Em 33 anos, Amazônia perdeu 724 mil km² de floresta e vegetação em região que abrange 9 países
Conhecida como 'Pan-Amazônia', a área tem 8,47 milhões de km² e envolve Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Suriname, Guiana e Guiana Francesa. 18 de abril de 2016 - Uma aldeia Yanomami é vista durante a operação do Ibama contra a mineração ilegal de ouro em terras indígenas. Bruno Kelly/Reuters A Pan-Amazônia, região de floresta amazônica que abrange 9 países, perdeu 724 mil km² de cobertura florestal e vegetal entre 1985 e 2018, de acordo com uma análise feita pelo MapBiomas Amazônia, divulgada nessa quinta-feira (2). A área perdida equivale à soma dos estados de SC, PR, SP, RJ, ES, ou a todo o território do Chile. Desses 724 mil km², a maior parte (692 mil km²) era área de floresta, e 32 mil km², vegetação natural. Isso significa que, em 2018, havia 10% menos floresta na Pan-Amazônia do que em 1985, como mostra a imagem abaixo. Imagem mostra a mudança do uso da terra da Pan-Amazônia. Em 1985, havia maior cobertura florestal e de vegetação. Em 2018, já é possível ver em amarelo a área de floresta desmatada. MapBiomas/Infografia/G1 "É a primeira vez que se enxerga a Amazônia como um todo. Com isso, a gente consegue entender onde estão acontecendo as transformações mais rápidas, onde está mudando a cobertura de uso do solo", afirma Tasso Azevedo, coordenador-geral do MapBiomas. A região da Pan-Amazônia abrange a área de floresta no Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Suriname, Guiana e Guiana Francesa. O Brasil concentra a maior parte do bioma (61,8%) e foi também o país que mais perdeu cobertura florestal no período, tanto em termos absolutos quanto proporcionais: são 624 mil km² a menos. Em seguida, vem Bolívia, com 36 mil km²; Peru, com 16 mil km², e Colômbia, com 14 mil km². Na contramão, Guiana e Suriname ganharam cobertura florestal, com 1,7 mil km² e 600 km², respectivamente. Avanço da agricultura Criação de gado em Alta Floresta, norte de Mato Grosso, dentro do bioma Amazônia Divulgação/Pecsa No mesmo período, a área voltada à agricultura e pecuária teve aumento de 172% no bioma – são 30 mil km² a mais de área. Em 1985 eram 415 mil km² com atividades de agropecuária em toda a Pan-Amazônia. Em 2018, passou para 1,12 milhão de km² – quase três vezes mais. A maior parte do crescimento veio do Brasil. Em 1985, eram 319 mil km² de terras para a agropecuária. Em 2018, eram 960 mil km². Territórios indígenas e áreas protegidas O desmatamento no período avançou sobre unidades de conservação, que deveriam ter zero desmatamento. Dos 692 mil km² de floresta amazônica perdida no período, 50 mil km² estavam em territórios indígenas e áreas naturais protegidas. Terra Indígena Ituna-Itatá, no PA. Reprodução / Jornal Nacional
Veja Mais

02/07 - Mandados contra empresas suspeitas de fraudar licitação para compra de testes de Covid-19 são cumpridos no Paraná
Gaeco cumpriu nove mandados de busca e apreensão em Maringá, São José dos Pinhais e em Curitiba nesta quinta-feira (2). Investigação é realizada pelo Ministério Público do Distrito Federal. Testes comprados pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal MP/Divulgação Nove mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas sedes de três empresas e casas dos sócios desses estabelecimentos em Maringá, São José dos Pinhais e em Curitiba, nesta quinta-feira (2). A operação realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) investiga possíveis irregularidades praticadas em uma licitação para compra de testes de Covid-19 pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal. A investigação é realizada pelo Ministério Público do Distrito Federal e conta com o apoio do Paraná, Goiás, São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Santa Catarina. A ação recebeu o nome de Falso Negativo. A apuração dos promotores não envolve a eficácia dos testes, mas sim crimes contra a ordem econômica, como cartel, fraudes a licitação, organização criminosa, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Foram apreendidos documentos, celulares, computadores e outros itens que poderão ajudar nas investigações. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Veja Mais

02/07 - Dmae divulga resultado final de concurso público em Uberlândia
Vagas são relativas aos cargos de níveis fundamentais, médio, médio técnico e superior. Documento também torna público resultado do julgamento dos recursos. Mais de 150 vagas do Dmae foram preenchidas após concurso Departamento Municipal de Água e Esgoto/Divulgação O Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) e a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) divulgaram nesta quarta-feira (1º) o resultado final do concurso público para compor quadro técnico em Uberlândia. Ao todo, o concurso oferece 153 vagas, com cargos de níveis fundamental, médio, técnico e superior, com salários que variam de R$ 1.538 a R$ 4.966. A primeira fase foi realizada no dia 9 de fevereiro de 2020. Já a segunda fase ocorreu entre os dias 29 de maio e 4 de junho e contou com provas práticas, testes físicos, além de entrevista de para verificação de autodeclaração de negros. Entre os ajustes de segurança e higiene para a realização da prova, foram feitos treinamento da banca e dos aplicadores, foi exigido o uso de máscara, houve redução no número de pessoas por turno, distanciamento de no mínimo dois metros entre candidatos, além de disponibilização de álcool em gel e locais para higienizar as mãos e as portas e janelas foram mantidas abertas. Recursos O documento também torna público o resultado do julgamento dos recursos contra o resultado preliminar do concurso. Por fim, será publicada a retificação do resultado da entrevista para verificação da autodeclararão de negros, com a lista definitiva das inscrições deferidas. Demais informações são encontradas no site do Dmae.
Veja Mais

02/07 - Chuva congelada é registrada em Santa Catarina após passagem de 'ciclone bomba'
De acordo com os moradores, o fenômeno foi rápido e ocorreu por volta das 8h em São Joaquim, na Serra catarinense. Foram registradas mínimas abaixo de 0°C no estado. Santa Catarina registrou a primeira chuva congelada deste inverno no estado na manhã desta quinta-feira (2). Segundo os moradores, o fenômeno foi rápido e ocorreu por volta das 8h em São Joaquim, na Serra catarinense. "A chuva gelada ocorre quando uma camada da atmosfera tem uma temperatura um pouco maior, normalmente esse floco, muda para um situação de pequenas pedrinhas de gelo", explica o meteorologista da NSC Comunicação, Leandro Puchalski. Fenômeno registrado em São Joaquim Mycchel Legnaghi/ São Joaquim Online A incidência do fenômeno foi confirmada após a análise de vídeos e fotos feitos no alto da localidade de Cruzeiro, a cerca de 15 km do Centro de São Joaquim. "Quando a chuva bate na mochila a pedrinha de gelo quica. Algo típico de chuva congelada. Percebemos algo mais próximo de um floco, mas ainda não ocorreu. É na verdade, um grão muito pequeno com diâmetro geralmente inferior a 1 milímetro", disse. Initial plugin text O meteorologista avaliou que a neve prevista ainda não ocorreu. "Para que os flocos de neve saiam da nuvem e cheguem ao solo é necessário que todas camadas da atmosfera até a superfície tenha temperatura abaixo de 0ºC. Isso é necessário para que o floco no seu deslocamento não perca suas características", afirma. Mínimas abaixo de zero As temperaturas foram baixas em diversas cidades de Santa Catarina no início da manhã desta quinta. A menor delas foi registrada em Bom Jardim da Serra, onde a temperatura do ar foi de -1,9°C, por volta das 8h. Segundo o meteorologista Marcelo Martins, da Epagri/Ciram, órgão que monitora as condições do tempo no estado, não houve neve no município. No decorrer do dia, a temperatura deve seguir baixa, apesar da presença do sol. Ainda conforme Martins, as mínimas devem intensificar na sexta-feira (3), principalmente nas regiões mais baixas dos municípios da Serra catarinense. "São esperadas ampla formação de geada, só não na Serra, mas também na região da Capital e Joinville", disse. E a neve? Ainda tem chance de ocorrer neve no decorrer de sexta-feira, mas com possibilidade pequena de acordo com Puchalski. "A chance de neve é ainda para esta manhã, depois não mais", afirma. Veja a previsão do tempo para esta quinta-feira em Santa Catarina Veja outras notícias do estado no G1 SC
Veja Mais

02/07 - Mogi-Dutra terá nova interdição nesta quinta para detonação de rochas; veja rotas alternativas
A interdição desta vez será na altura do Km 35.480 (estaca 174), em Arujá. O bloqueio será entre 14h e 16h. Esta será a terceira interdição programada pelo Departamento somente nesta semana. Uma nova interdição da Rodovia Mogi-Dutra será necessária nesta quinta-feira (2) para a detonação de rochas. O serviço faz parte do trabalho de duplicação da rodovia no trecho entre a Ayrton Senna e a Dutra, de acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER). A interdição desta vez será na altura do Km 35.480 (estaca 174), em Arujá. O bloqueio será entre 14h e 16h. Esta será a terceira interdição programada pelo Departamento somente nesta semana. Após os trabalhos, a rodovia volta a ser liberada ao tráfego normal. Ainda segundo o DER, foi implantada sinalização de alerta aos motoristas ao longo da rodovia e mensagens também serão veiculadas pelos canais de comunicação com o usuário do DER, pelo perfil do Twitter @_dersp, por boletins no site e por meio da Central de Operações e Informações 0800-055-5510. Rotas alternativas Como rota alternativa, os usuários poderão trafegar pela SP-056 (Estrada de Santa Isabel) e SP-021 (Rodoanel): Rodovia Pedro Eroles, sentido Mogi das Cruzes a Arujá: Utilize a rampa de acesso a São Paulo e siga pela Rodovia Ayrton Senna; Na saída 35, pegue o acesso a Itaquaquecetuba e, em seguida, o acesso a Arujá à esquerda e siga pela Rodovia Alberto Hinoto (também conhecida como Estrada de Santa Isabel) até chegar a Arujá; Alternativamente, na Rodovia Ayrton Senna, km 36, acesse o Rodoanel e, na bifurcação, siga na direção Dutra/Fernão Dias. Na Rodovia Presidente Dutra, use as faixas da direita e pegue a saída em direção a Arujá. Na saída 119 da Rodovia Presidente Dutra, acesse Arujá; Rodovia Pedro Eroles, sentido Arujá a Mogi das Cruzes: Siga em direção a Arujá até a rotatória no cruzamento com a Estrada de Santa Isabel; Vire à esquerda e siga pela Rodovia Alberto Hinoto (também conhecida como Estrada de Santa Isabel) até chegar a Itaquaquecetuba, cruzamento com a Estrada do Mandi; Vire à direita e, em seguida, acesse a Rodovia Ayrton Senna e prossiga até a saída 45, sentido Mogi das Cruzes; Obras A duplicação do trecho inicial da Rodovia Mogi-Dutra foi entregue em 15 de janeiro de 2005. Desde então, a construção da faixa adicional nos 7,5 quilômetros restantes passou a ser uma reivindicação de quem utiliza a via. Agora a SP-088 passa por obras de duplicação da pista e modernização, com melhorias dos acostamentos, construção de viadutos, passarelas e posto de pesagem, entre o Km 32 e o Km 39,45. O investimento é de R$ 121,9 milhões por parte do Governo do Estado. A obra foi anunciada pela primeira vez em abril de 2014. A licitação chegou a ser aberta com previsão de início dos trabalhos para junho do mesmo ano. Houve atraso e, em novembro de 2015, o edital foi revogado pelo DER para atualização de valores. Em agosto de 2016, em visita a Mogi das Cruzes, o governador Geraldo Alckmin anunciou nova licitação. Já em janeiro de 2017, o edital foi reaberto depois da publicação no Diário Oficial, mas suspenso por determinação do Tribunal de Constas do Estado. A publicação do consórcio vencedor, o Construcap/Copasa, ocorreu em 1º de dezembro de 2017. A previsão era que os trabalhos fossem finalizados em janeiro de 2020, mas a data e entrega foi adiada e a nova data prevista para a entrega ficou para novembro de 2020. De acordo com o DER, já foram executadas intervenções como terraplanagem, muros de contenção, implantação da fundação de barreira News Jersey no eixo da pista, concretagem das vigas das passarelas, além de execução de guias, sarjetas e calçadas. Foram também iniciados os serviços de implantação do viaduto sobre a linha férrea, km 38,700. As próximas etapas incluem tubulações do viaduto do km 38,700, revestimento asfáltico, lançamento das vigas dos viadutos, restaurações, cravação das estacas pré-moldadas do viaduto do km 35, entre outros. De acordo com o DER, por causa da pandemia, a empresa contratada foi orientada a seguir todos os padrões de limpeza e higiene para evitar a disseminação da doença e garantir a segurança de todos os colaboradores.
Veja Mais

02/07 - Coronavírus: Minas tem recorde de mortes em 24 horas, com 52 novos registros, e passa de 50 mil pacientes com a doença
Ao todo, segundo os dados do governo, são 50.707 pacientes diagnosticados com a doença no estado. Já são 1.059 mortes e outras 220 em investigação. Em BH, Bombeiros prestam homenagem às vítimas da Covid-19 em Minas. Reprodução / TV Globo Minas Gerais bateu mais um recorde de mortes pelo novo coronavírus em 24 horas, com 52 novos registros desde a véspera. Nesta quarta-feira (1º), o estado passou da marca de mil mortes pela primeira vez, com 1.007 óbitos, e nesta quinta chegou a 1.059 vítimas da Covid-19. Outros 220 óbitos estão em investigações. O recorde anterior, com 51 óbitos em 24 horas, tinha acontecido no dia 24 de junho. Além disso, segundo os dados do boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), o estado já passou de 50 mil pacientes infectados com a Covid-19. Nesta quinta, são 50.707 casos acumulados no estado desde o início da pandemia, 3.123 a mais em um dia. Rostos e histórias por trás dos números: algumas vítimas do novo coronavírus em Minas Gerais. Arquivo Pessoal Ainda segundo os dados do governo, 30.469 pacientes se recuperaram da doença no estado. Desde o início da pandemia, 5.794 tiveram que ser internados e 44.943 ficaram em isolamento domiciliar. Em 2020, houve 23.615 internações por síndrome respiratória aguda grave, 873% a mais em relação ao mesmo período de 2019. Na rede pública, 41.285 pessoas foram testadas. Reportagem do G1 da última terça-feira (23) mostra que, apesar de registrar crescimento de hospitalização de pacientes com Covid-19, Minas Gerais continua realizando poucos testes para diagnosticar a doença. Segundo o levantamento feito pelo G1, MG é o estado que menos realiza testes em casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus no Brasil. Casos por município Dos 853 municípios mineiros, 715 já tiveram ao menos um caso do novo coronavírus. Isso representa mais de 80% do total de cidades no estado. O município com mais casos da doença agora é Uberlândia (6.785), com 86 mortes, seguido de Belo Horizonte (6.570) – 655 a mais em 24 horas –, com 157 mortes, Ipatinga (2.140), Juiz de Fora (1.786) e Governador Valadares (1.247). Acesse os casos por município. Perfil dos pacientes A maioria dos pacientes que morreram em decorrência do novo coronavírus são homens: 55% do total. E idosos: 74% tem mais de 60 anos. Além disso, 82% dos óbitos ocorreram em pacientes que já tinham fatores de risco, principalmente hipertensão, diabetes e doença cardiovascular. Outros fatores de risco registrados foram pneumopatia, doença renal, transtornos mentais, doença neurológica, tabagismo, neoplasia, hipotireoidismo e doença genitourinária. No início da pandemia, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) informava qual era a comorbidade de cada paciente que havia morrido com a Covid-19. Em abril, no entanto, a pasta parou de informar. Questionada, a SES disse que, pela "possibilidade de ocorrência em municípios de pequeno porte", "os pacientes podem ser facilmente identificados, quando descritas características específicas". "Assim sendo, no intuito de mantermos a confidencialidade das informações fornecidas pelos pacientes e/ou familiares, passamos a não mais divulgar o descritivo detalhado de informações por paciente". O município com mais mortes até agora foi Belo Horizonte, com 157. Em seguida, Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com 86 óbitos, Juiz de Fora, na Zona da Mata, com 53, e Ipatinga, com 43. Conheça a seguir as histórias de alguns desses pacientes que não resistiram ao coronavírus em Minas: Pai e filha morrem em BH O primeiro teste de Covid-19 que o aposentado fez deu negativo. Sr. Paulo Roberto morreu no último sábado (13). Arquivo pessoal Paulo Roberto Dias Câmpara tinha 75 anos e era pai de três filhos. Ele falava três idiomas, adorava tocar instrumento de corda e participou de várias apresentações musicais. Para completar a renda da família, trabalhava como vendedor ambulante empurrando um carrinho de picolé pelas ruas do Bairro Santa Cruz, na Região Nordeste de Belo Horizonte. Fumante, no dia 3 de junho ele deu entrada na UPA Noroeste com quadro de enfizema pulmonar e pneumonia. De acordo com a família, o aposentado chegou a fazer um teste para a COVID-19 mas o primeiro resultado deu negativo. Com a piora do quadro, ele precisou ser levado para o Hospital Odilon Behrens. A filha mais velha, Samira Diniz Câmpara, fez companhia para o pai durante a internação. No Hospital Odilon Behrens, o quadro de saúde de Paulo Robertou pirou. Um segundo exame feito na unidade de saúde atestou a presença do coronavírus. Mas o aposentado não resistiu. Morreu no sábado, dia 13 de junho, em decorrência de uma parada cardíaca. Samira tinha 40 anos e trabalhava como cabeleireira. Ela morreu no último dia 17. Arquivo pessoal Três dias antes da morte do pai, Samira já estava internada no Hospital Eduardo de Menezes, que é referência no atendimento à pacientes com a Covid-19. "O quadro dela só piorou, dia após dia, foram oito dias de internação. De uma hora para outra ela ficou muito mal. Assim que fizeram o teste para Covid-19, o resultado foi positivo", disse o cunhado Ítalo de Jesus. Samira morreu quarta-feira, 17 de junho. Tinha 40 anos e trabalhava como cabeleireira. Era conhecida no bairro pelo talento que tinha para trabalhar com estética e beleza. Deixa um filho de 11 anos: "Ela cuidou do pai e nem se despediu dele", lamenta Ítalo. Três parentes mortos em uma semana Maicon Dias Lucas perdeu três parentes para a Covid-19, em Betim, na região Metropolitana de Belo Horizonte. “Foi muito forte o que aconteceu. Na quinta enterrei meu avô, na terça o meu tio e na quarta a minha tia”, disse ele. Juarez, avô de Maicon, morreu aos 83 anos Arquivo pessoal/Divulgação O avô de Maicon, Juarez, tinha 83 anos e, segundo a família, uma saúde de ferro. “Há 20 dias nós estávamos brigando com meu avô para ele descer de uma árvore”, contou o neto. O casal de tios, Álvaro, de 58 anos, e Marluce, de 55 anos, eram pastores evangélicos. O casal Álvaro e Marluce morreu de Covid-19 em Betim Arquivo pessoal/Divulgação “Faziam um trabalho muito forte dentro do bairro Citrolândia que é não só em cuidar das pessoas dentro da igreja, mas sim, muitas das vezes, de levar um alimento, de zelar pelas pessoas. Esse é o legado maior que eles nos deixaram. De amar as pessoas”, disse Maicon. Morador de rua vítima da Covid-19 Adilson Goulart era usuário de drogas e vivia nas ruas de Belo Horizonte há anos. Ele morreu de Covid-19, no dia 5 de maio, aos 38 anos. “Me ligaram da Santa Casa para me avisar que ele tinha sido internado com Covid-19. A minha ficha não caiu, sabe? Ainda não chorei direito”, disse Valter, irmão mais velho de Adilson. Os irmãos perderam os pais e os avós muito cedo. “Adilson era brincalhão, inteligente, prestativo, chorão (risos). A vida foi muito ruim com ele. Ele foi para o caminho errado. Sofreu demais, sofreu demais”, lamentou. Única foto de Adilson Goulart que morreu de Covid-19 aos 38 anos Valter Goulart/Arquivo pessoal Após a morte do irmão, Valter começou uma peregrinação para conseguir sepultar o irmão. “Ele não tinha documentos. Até eu achar a certidão de nascimento dele demorou muito. Aí o corpo foi levado para o IML. Para liberar eu tinha que identificar. Muito triste ver meu irmão daquele jeito. Sem roupa, envelhecido”, contou. Quando estava internado, a preocupação de Adilson era o cachorro que vivia com ele. “Os companheiros dele de rua ficaram tomando conta”, disse Valter. Casal morre com dez dias de diferença Antônio Borges dos Santos, de 95 anos, e Luiza Francisca Pereira, de 89 anos, costumavam tomar sol juntos na varanda de casa em Rio Manso, cidade com pouco mais de cinco mil habitantes, na Região Central de Minas Gerais. Os dois fariam 71 anos de casados em junho. Ele morreu no dia 17 de maio de Covid-19. Ela morreu neta quinta-feira (28) também vítima da doença. Antônio e Luiza morreram com dez dias de diferença Arquivo pessoal “Quando minha avó soube da morte do meu avô disse que não ia conseguir viver sem ele. Aí ela piorou muito”, disse Lívia Luiza de Oliveira Borges, neta do casal. Os dois tiveram 13 filhos, dois deles faleceram. Deixaram 30 netos, 33 bisnetos e cinco tataranetos. “Estavam sempre juntinhos e abraçados. Não podiam ver que estávamos vigiando que rapidinho paravam de abraçar. Foi bem difícil perder os dois em tão pouco tempo”, disse Lívia. Primeiras mortes em Minas A primeira morte em decorrência do coronavírus divulgada em Minas Gerais foi a de Marlene Eunice Vanucci, de 82 anos, moradora de Belo Horizonte. Ela foi internada no Hospital Biocor em Nova Lima em 21 de março, com quadro de febre, tosse e desconforto respiratório, sendo transferida para UTI dois dias depois. Ela morreu no dia 29 de março. A paciente também tinha doença cardiovascular crônica, diabetes mellitus e pneumopatia crônica. No dia da morte de Marlene, sua nora fez um desabafo emocionado em uma rede social: "Gostaria imensamente que os governantes fossem mais respeitosos com cada vida ceifada e sufocada pelo coronavírus. Sr. Ministro Mandetta se mantenha técnico e firme, não se deixe abater por ignorância. Mais amor e mais empatia", escreveu ela. Morte de Marlene foi confirmada pelo médico do Biocor Reprodução Redes Sociais Mais tarde, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) divulgou outros óbitos que aconteceram antes do de Marlene Vanucci: de um paciente de 79 anos de Patos de Minas, no dia 28 de março, e de uma freira de 79 anos de Paraisópolis, no mesmo dia (veja abaixo a história dela). No mesmo dia 29 de março, também morreu um paciente de 71 anos de Juiz de Fora. O segundo morador de Belo Horizonte que morreu com exame positivo para a Covid-19 foi o Darcy Gomes Parreiras, de 66 anos, que estava internado no Hospital Semper e morreu três dias depois de dar entrada, em 30 de março. Ele tinha cardiopatia e diabetes mielitus. Darcy Gomes Parreiras Arquivo pessoal Freira fazia caridade A prefeitura de Paraisópolis, no Sul de Minas, divulgou a morte da freira Jandira Rosa Chagas, de 78 anos, apenas no dia 10 de abril, quando o resultado dos exames saiu. Mas ela morreu no dia 28 de março, tendo sido um dos primeiros óbitos pela Covid-19 confirmados em Minas Gerais. Irmã Jandira, como era conhecida, realizava trabalhos na Casa da Criança de Paraisópolis. Ela recebeu homenagens da instituição no dia da morte. O perfil oficial do Instituto das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora de Fátima também homenageou a religiosa quando a morte completou o sétimo dia. Irmã Jandira, de Paraisópolis (MG), deve morte confirmada por coronavírus pela prefeitura Divulgação/Casa da Criança Detento morre na prisão A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e o Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG) confirmaram, no dia 30 de junho, a morte de um detento do Ceresp Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte. Ele cumpria prisão temporária, tinha 77 anos e não possuía comorbidades. Ceresp Gameleira, em Belo Horizonte Reprodução / TV Globo Em nota, informaram que Pedro Vitoriano de Souza, custodiado da unidade, havia sido preso no dia 9 de junho e, dez dias depois, apresentou quadro de coriza e tosse seca. Ele estava em uma das 30 unidades do sistema prisional criadas como porta de entrada, com a função de triagem de presos recém-admitidos do extramuros, para cumprimento de quarentena, antes do encaminhamento para os demais presídios. Com sintomas gripais e atendido pela área de saúde da unidade, Pedro foi isolado e acompanhado por quatro dias quando, com a piora no quadro, foi encaminhado para a Upa Oeste, no dia 24, onde foi colhido exame PCR. No dia seguinte, o detento foi encaminhado para o Hospital Júlia Kubischek, onde morreu no dia 28 de junho, com causa confirmada para a Covid-19. Mortes que demoram a ser confirmadas Gilberto Loiola tinha 74 anos, era morador de Poços de Caldas, no Sul de Minas e morreu com coronavírus no dia 13 de abril, mas a morte só foi confirmada pela Secretária Estadual de Saúde (SES) após 26 dias. A família afirma que na certidão de óbito, até o dia 21 de maio, ainda constava insuficiência respiratória grave como causa da morte. Como o G1 mostrou em 19 de maio, houve casos de demora de até 42 dias para uma morte por coronavírus ser divulgada pelo governo do estado. Gilberto Loiola e Carina Loiola. Arquivo pessoal O senhor Gilberto gostava de viajar e sua última viagem foi um cruzeiro até o Caribe, com a sua esposa e com os sogros da filha Carina Loiola, no começo março. Naquela época, a família acreditava que a doença estava longe, como afirma a filha dele, que, além do pai, também perdeu o sogro com a Covid-19. "Nós acreditávamos na doença, mas como os números ainda eram baixos no Brasil, principalmente na nossa região, a gente achava que estava longe". O casal chegou de viagem no dia 15 de março e no dia 18, Gilberto começou a sentir alguns sintomas leves, como febre baixa e foi para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Poços de Caldas, mas os médicos falaram para voltar para casa. Carina também perdeu o sogro, Nilton Augusto Flores, para a doença. Ele viajou no mesmo cruzeiro que o Gilberto e foi internado no dia 27 de março. "Nós sabíamos do coronavírus, mas quando eles foram viajar, ainda não tinha muitos casos da doença no Brasil e o local para onde eles iriam não tinha nada. A operadora do cruzeiro prometeu que iria haver fiscalização. Então ficamos mais seguros", relatou Carina. Nilton Augusto Flores também morava em poços de Caldas. Arquivo pessoal Pacientes sem nenhuma comorbidade O quinto paciente a morrer em Minas foi um homem de 44 anos, morador de Mariana, que veio a óbito em hospital na própria cidade, no dia 30 de março. Ele não tinha nenhuma comorbidade. Esta morte em Mariana havia sido confirmada na manhã do dia 1º de abril. Outro paciente que não tinha qualquer comorbidade ou doença prévia era um morador de 72 anos da cidade de Ouro Fino, no Sul de Minas. Ele teve início de sintomas, com febre, no dia 21 de março. Foi internado no dia 24 e morreu no dia 31 de março. O exame confirmando que ele estava com a Covid-19 saiu neste domingo, 5 de abril. Segundo a assessoria da Prefeitura de Ouro Fino, João Batista Bueno filho morava na zona rural e apresentou os sintomas após uma viagem de cruzeiro no Ceará, onde estava com a esposa. Prefeitura de Ouro Fino confirma que homem de 72 anos morreu por Covid-19 Reprodução EPTV Dizia que doença era 'coisa da mídia' Outro paciente que não tinha nenhuma doença prévia era Cláudio Manoel Ricardo, de 69 anos, morador de Montes Claros. Segundo o filho do idoso, Claudinei dos Santos Ricardo, em entrevista ao G1 no dia 2 de março, o pai viajou antes do período de Carnaval para rever a família e retornou no dia 16 de março. “Infelizmente, meu pai não levou isso a sério, ele dizia que era coisa da mídia. Quando resolveu viajar, eu o alertei para não ir e mesmo sabendo dos riscos, ele foi porque não acreditava na doença. Meu pai era 100% saudável, não tinha problema de saúde e tinha feito um check-up recentemente”, afirmou o filho do paciente. Na madrugada do dia 17, Cláudio Ricardo começou a sentir os primeiros sintomas da doença. O idoso foi internado no hospital Aroldo Tourinho no dia 27 de março e entubado dois dias depois. Ele morreu no dia 1º de abril. Sua família está em isolamento e sendo monitorada. Cláudio Manoel Ricardo estava internado no Hospital Aroldo Tourinho Arquivo pessoal Acreditava na doença e se cuidava Joaquim da Ponte, de 75 anos, morava na zona rural de Espinosa (MG) e faleceu com coronavírus no dia 17 de maio. Segundo seu filho, Luis Paulo Ponte, ele se cuidava muito bem contra a doença: "Ele acreditava na doença por tudo que via na televisão, praticamente não saía, usava máscara e não recebia visitas", conta o filho. Joaquim tinha 75 anos e morava na zona rural de Espinosa Luís Paulo Ponte / Arquivo Pessoal Joaquim foi internado em maio em Espinosa, com diagnóstico de infecção urinária grave e sem suspeita de Covid-19. Inicialmente, ele se queixava de fraqueza. Luis e a irmã se revezam como acompanhantes no hospital. Como houve piora do quadro, o pai deles foi transferido para uma unidade de saúde em Janaúba (MG). “Ele pediu para que eu ligasse para minha mãe e falou com ela que ia, mas voltava logo”, fala o filho. Como já estava com o pai em Espinosa, Luis foi junto para o segundo hospital e permaneceu no mesmo quarto que ele. “Morreu nos braços”, emociona-se ao lembrar. Durante a internação Joaquim teve febre e precisou de oxigênio para respirar. Ele tinha asma e bronquite desde 1993. Logo após o falecimento, o filho foi informado que o pai tinha testado positivo para coronavírus, por meio de um teste rápido. Por se tratar de óbito, foi feita uma investigação e a confirmação da Covid-19 foi divulgada em junho pela prefeitura. Os familiares ficaram isolados e não foram submetidos a exames por não apresentarem sintomas. Joaquim deixa 20 filhos, 40 netos e cinco bisnetos. Profissionais da saúde Uma profissional de enfermagem de 53 anos que atuava no Hospital Alberto Cavalcanti, de Belo Horizonte, e também na Unidade de Pronto Atendimento Ressaca, em Contagem, na Região Metropolitana, morreu no dia 20 de abril. Ela estava internada no Hospital Municipal de Contagem, após contrair o coronavírus. A informação foi confirmada pela Prefeitura da cidade no dia 20, mas o óbito só entrou no balanço oficial do governo no dia 25 de abril. Técnica de enfermagem foi a primeira vítima da Covid-19, em Contagem A servidora Maria Aparecida Andrade tinha 53 anos e apresentou teste positivo para a Covid-19 no dia 8 de abril, com determinação de afastamento de sete dias de suas atividades profissionais. O exame e o atestado médico foram feitos em Belo Horizonte. Em 13 de abril, cinco dias após ser afastada, ela procurou atendimento na UPA Ressaca e foi transferida para o Hospital Municipal de Contagem. Pela idade, Maria Aparecida não era considerada do grupo de risco. Mas tinha doença cardíaca. E, por isso, poderia ter pedido o afastamento do trabalho. Mas nunca fez essa opção. E, como os colegas não sabiam da doença, ninguém a aconselhou a ficar em casa. Cida, como era carinhosamente chamada, era uma apaixonada pela profissão. “Aqui a gente passa 12 horas, às vezes até mais que com os nossos familiares. Nos consideramos uma família. Então, nós perdemos uma integrante da nossa família. E esse buraco vai ficar, não vai ter jeito de cobrir”, lamentou a amiga Kelly Ribeiro Alves, enfermeira que trabalhava com Cida. Ela contou que todos os colegas ficaram muito assustados com a morte de Maria Aparecida, por estarem todos "na linha de frente" do enfrentamento ao coronavírus. Já o médico pediatra Ramon Pinto Lobo, de 69 anos, morreu no dia 6 de maio, no Biocor, em Nova Lima. Ele era morador de Jequitinhonha. Médico pediatra de Jequitinhonha morreu por Covid-19 no Hospital Biocor, em Nova Lima Reprodução/Redes Sociais De acordo com o enfermeiro e coordenador da Vigilância em Saúde de Jequitinhonha, ele tinha diabetes, hipertensão e doença cardiovascular crônica. Além de ter uma clínica particular, Ramon Pinto Lobo era médico de uma unidade de saúde de Jequitinhonha, onde trabalhou até o dia 17 de abril, e plantonista do Hospital São Miguel. Seu último plantão foi no dia 13 de abril. No dia 18 de maio, a técnica de enfermagem Marilene do Prado Tavares, de 47 anos, morreu de coronavírus em Varginha, no Sul de Minas. A técnica de enfermagem Marilene do Prado Tavares, de 47 anos, morreu de coronavírus em Varginha. Reprodução / EPTV Marilene trabalhava há 25 anos no setor de oncologia do Hospital Bom Pastor e estava internada no CTI desde o dia 20 de abril. A morte da profissional de saúde foi constatada às 8h de 18 de maio. A Prefeitura de Varginha emitiu uma nota de pesar pela morte da servidora: "Lamentamos muito ao comunicarmos o passamento da Técnica em Enfermagem Marilene do Prado Tavares, 47 anos, às 08 horas da manhã do dia de hoje, a qual trabalhou 25 anos na sua função no HBP, destacando-se pelo seu compromisso, simpatia e carinho com todos. Nossas efusivas homenagens há esta dileta servidora, é nossos sentimentos a seus familiares. Que Deus os conforte", diz a nota. No mesmo dia da morte, familiares, colegas e amigos da técnica de enfermagem fizeram um cortejo em homenagem à vida e profissionalismo da servidora da saúde. Sob aplausos dos colegas, o corpo deixou o hospital para ser sepultado. Outra técnica de enfermagem que morreu foi a Maria Elza Oliveira Andrade, que trabalhava havia mais de 35 anos na Santa Casa de Capitão Enéas e veio a óbito no dia 1º de junho. Técnica de enfermagem morreu aos 55 anos Arquivo pessoal Bila, como era popularmente conhecida na cidade com pouco mais de 14 mil habitantes, amava a profissão e estava sempre pronta para servir o próximo, conforme relato dos colegas. “Ela era caridosa, brincalhona e muito alegre. Uma profissional exemplar que morreu fazendo o que amava. Todos gostavam dela no hospital, foi uma grande perda para o município”, disse o ex-diretor da unidade, Gilson Farias dos Santos, que trabalhou durante três anos com a técnica. “Estou aqui para servir, fiz um juramento e vou cumprir”. Essas foram as palavras ditas pela técnica de enfermagem ao ser orientada para se afastar nesse período da pandemia porque era hipertensa e estava no grupo de risco. “Falei várias vezes que a doença era perigosa, mas Bila queria continuar cuidando dos pacientes. Ela deixou um vazio enorme no hospital, era nosso ponto de referência aqui. Uma pessoa amável e carinhosa com todos”, contou Joilma Veloso e Silva, funcionária do setor administrativo há 30 anos. Ela estava internada desde o dia 22 de maio em um hospital de Montes Claros. O corpo da profissional foi enterrado de Capitão Enéas na manhã desta terça-feira (2). Moradores se reuniram na entrada da cidade para acompanhar o cortejo até o cemitério e prestar a última homenagem. Ela era casada e tinha três filhos adultos. Amigos fizeram uma carreata na entrada da cidade para se despedirem da técnica de enfermagem Arquivo pessoal Morador da cidade de Martinho Campos, Jair Quirino de Oliveira, de 62 anos, era considerado o "médico" da cidade. Jair Quirino de Oliveira é uma das vítimas da Covid-19 em Minas Gerais Arquivo pessoal Formado em patologia clínica, Jair trabalhou 45 anos em farmácias da cidade na Região Centro-Oeste de Minas Gerais, com pouco mais de 13 mil habitantes. “Ele começou a ter a febre dia 12 de abril, e ele achou que era simplesmente uma sinusite. Por ele confiar demais em si mesmo, ele não procurou um médico e começou a tomar medicamento por conta própria”, disse Geisiane Costa Quirino Oliveira que perdeu o pai para a Covid-19 duas semanas depois. Após os sintomas terem piorado, Jair foi internado no dia 19 de abril. Dois dias depois, ele foi transferido para o Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte. Jair morreu no dia 26 de abril. “Ele amava comentar, discutir futebol, política. Gostava de contar piada, era uma pessoa muito conhecida em Martinho Campos. Todo mundo gostava muito dele, sempre procurava ele”, disse a mulher de Jair, Giselma Quirino Oliveira. Pacientes mais jovens A paciente mais jovem a morrer por causa da Covid-19 em Minas foi uma criança de apenas 8 anos, moradora de Ribeirão das Neves, na Grande BH. Ela morreu no dia 22 de junho. Depois dela, a vítima mais jovem foi uma adolescente moradora de Betim, também na região metropolitana. Ela tinha 14 anos de idade e estava internada em um hospital de São Paulo, à espera de um transplante cardíaco. Morreu no dia 3 de maio. Até o dia 1º de julho, dez pacientes com até 25 anos já tinham morrido por causa da doença, em Minas Gerais. Se considerarmos os pacientes com até 35 anos, a Covid-19 fez 30 vítimas fatais até 1º de julho. Um dos mais jovens, com 23 anos, era morador de Betim e não tinha nenhuma doença prévia ou comorbidade. Matheus Augusto Lobo, de 23 anos, não tinha doença prévia e morreu com coronavírus Erberte Lobo/Arquivo pessoal Matheus Augusto Cerqueira Lobo, de 23 anos, morreu no dia 19 de maio e teve o corpo cremado no dia seguinte. “Ele segurou minha mão e pediu pra não deixar ele morrer”, contou Erberte Lobo, de 62 anos, pai de Matheus, sobre o dia da internação. O jovem foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Teresópolis, na semana passada. De lá, foi transferido para o Hospital Regional de Betim, onde morreu dias depois. Matheus gostava de passar o tempo com a família e trabalhava como autônomo, comprando e revendendo carros. Matheus Augusto Lobo e o pai Erberte Lobo Erberte Lobo/Arquivo pessoal Um dos pacientes mais jovens a morrer foi um morador de São Tomás de Aquino, no Sul de Minas, com apenas 34 anos. Ele tinha hipertensão. O fisioterapeuta Wesley Soares, de 34 anos, morreu com Covid-19 em Franca, SP Reprodução/EPTV A Prefeitura de São Tomás de Aquino (MG) confirmou a morte do fisioterapeuta da rede de saúde municipal Wesley Leite Soares de Oliveira na noite de 12 de abril. Ele estava internado em Franca, interior de São Paulo. A irmã de Wesley Soares fez um relato emocionado no dia 14 de abril. Ao falar da evolução da doença, Daiane Mendes disse que a angústia maior da família é por não ter tido tempo suficiente para a despedida. “O que mais dói é não poder se despedir. Não pode ter um velório, o enterro durou 10, 15 minutos. Coisa muito rápida mesmo. Foi muito difícil.” Wesley trabalhava como concursado da Prefeitura de São Tomás de Aquino e mantinha uma clínica de fisioterapia. Segundo Daiane, ele começou a se sentir mal no dia 2 de abril, quando apresentou sintomas de resfriado, tosse e falta de ar. Ele recebeu o primeiro atendimento na cidade mineira, onde um raio-X apontou leve alteração no pulmão. De acordo com Daiane, o irmão foi encaminhado para Franca, onde fez o teste rápido no dia 9, mas deu negativo para Covid-19. Apesar disso, o quadro de saúde não apresentou melhora, e o pai, que mora em Franca, decidiu levar Wesley ao pronto-socorro para um novo atendimento. “Chegando no pronto-socorro, já colocaram ele no oxigênio e já pediram vaga no Hospital do Coração. Levaram ele para lá. Uma vez por dia, a equipe atualizava. Às 13h, eles ligavam pra minha cunhada ou para o meu pai”, diz Daiane. No entanto, o quadro de saúde piorou e o fisioterapeuta morreu na noite de domingo (12). A irmã diz que o rapaz chegou a receber cloroquina durante o tratamento após ter sido diagnosticado. Daiane afirma que Wesley amava o trabalho e tinha um cuidado especial com os pacientes idosos. Para ela, a melhor prevenção para evitar que mais famílias percam seus entes queridos para a doença é o distanciamento social. “Nas ruas, as pessoas andam sem nenhuma precaução. Eu acho que o povo tinha que se conscientizar mais. Até eu mesma, antes de acontecer na minha família, não levava muito a sério. A gente só acredita quando atinge a família da gente. Eu não desejo que isso aconteça com ninguém. Espero que todos se cuidem para que não aconteça nas famílias. É doído. Não tem explicação.” Pacientes mais idosos Até o dia 1º de julho, havia 14 pacientes vítimas da Covid-19 com 95 a 102 anos de idade. Um dos mais idosos era o Joaquim de Paula Reis, de 95 anos, morador de Belo Vale. Ele era agricultor e não teve filhos. Ana Maria, que trabalha no asilo onde ele viveu seus últimos meses de vida, conta que ele era tranquilo, brincalhão e fazia todo mundo dar muita risada. Ana Maria conviveu com Joaquim no asilo onde viveu seus últimos meses. Arquivo pessoal As fotos de Joaquim mostram ele sempre com o sorriso no rosto. Joaquim de Paula Reis morreu com a Covid-19 aos 95 anos. Arquivo pessoal Ele morreu no dia 20 de abril e tinha doenças prévias, não informadas pela Secretaria de Estado da Saúde. Com 92 anos, Isabel Delfina Ferreira morreu na cidade da região metropolitana Mário Campos, deixando seis filhos, 17 netos, 21 bisnetos e um tataraneto. Isabel Delfina Ferreira morreu de Covid-19 aos 92 anos Arquivo pessoal Ela é lembrada com carinho por sua neta Aldaiam Martins, que ainda fala dela no presente: “Ela faz a melhor broa de arroz do mundo”. Isabel morreu no da 27 de abril. “De repente ela ficou mais quieta, tossindo mais. Ela sempre tossia, sabe? Alérgica. Mas aí foi ficando fraca. Um dia ela só ficou deitada e levei para o médico. Não teve febre e nem falta de ar. Foi diagnosticada com pneumonia e depois voltou para a casa. Dias depois ela piorou. Aí foi internada no hospital de Betim e aí não voltou mais para casa”, disse Aldaiam. Não teve velório e o sepultamento foi rápido. Contaminada em viagem de visita Terezinha Leite Vieira tinha 72 anos e faleceu de Covid-19, em Bocaiuva Arquivo pessoal Terezinha Leite Vieira, de 72 anos, morreu de Covid-19 em Bocaiuva no dia 16 de maio. A aposentada morava em Belo Horizonte há mais de 40 anos, mas visitava familiares no Norte de Minas. “Ela era muito alegre, tinha um coração bom e gostava de ajudar as pessoas”, diz a professora Polinne Brandão, sobrinha de Terezinha. Ao longo de todos esses anos, ela sempre passeava na região e trazia muito carinho na bagagem. Como relembra a sobrinha que guarda no coração as lembranças da Tia Tê. “Tia Tê tinha uma voz marcante e sempre vou lembrar de quando ela chegava pedindo um abraço e beijava minha testa. Quando éramos crianças, ela já vinha trazendo uma lembrancinha”. Nessa última visita, Polinne não teve tempo de encontrar com a tia. Ela já chegou direto na casa de um irmão e depois deu entrada no hospital da cidade com sintomas da doença, onde faleceu no dia 16 de maio. “Ninguém da minha casa teve contato. Quando descobrimos que ela estava aqui, já tinha dado entrada no hospital e não podia receber visitas. Uma amiga minha que trabalha lá me contou que antes de morrer, Tia Tê lamentou a vinda para a região”. Não sabe como se contaminou No dia 16 de abril, morreu uma idosa de 75 anos da cidade de Varzelândia. De acordo com a Prefeitura de Varzelândia, a paciente fazia tratamento oncológico em São Paulo e retornou para o município duas semanas antes. Ela morreu no Hospital Municipal Senhora Santana, em Brasília de Minas. Segundo a secretária municipal de Saúde, Célia de Fátima Fialho Dias, a paciente apresentou febre e falta de ar assim que chegou de São Paulo, e recebeu o primeiro atendimento no Hospital de São João da Ponte. "Segundo os familiares, ela fazia tratamento em São Paulo há um ano e os médicos orientaram o retorno porque o câncer já estava muito avançado e a idosa estava bastante debilitada", disse a secretária. A sobrinha da idosa, a enfermeira Gircelia Ferreira, contou ao G1 que a família não sabe como ela se contaminou. “O médico de São Paulo indicou que a minha tia retornasse para casa e em junho, ela voltaria para fazer o acompanhamento. Não sabemos como ela se contaminou”, disse. Segundo Gircelia, a tia acreditava na doença, ficou isolamento quando chegou de São Paulo e só teve contato com familiares. “Foi uma surpresa quando saiu o resultado positivo. Ficamos muito assustados e foi um baque para toda a família, principalmente para o marido dela, que ficou muito abalado”. A enfermeira acompanhou a tia nos hospitais e está em isolamento domiciliar com os dois filhos, de 12 e 15 anos. Nenhum deles apresentou sintomas, mas ela relata que tem medo da doença e teme principalmente pela saúde dos filhos. “Não é só idoso que pode ter complicação, todas as pessoas precisam se proteger. Meus filhos não saem de casa e quando eu voltar a trabalhar, eles vão permanecer em isolamento. Quem puder, deve ficar em casa e se houver necessidade de sair, que faça isso com cautela. Os municípios também deveriam monitorar o cumprimento das medidas de prevenção nas ruas”, alerta. Gircelia está em isolamento com os filhos; quarentena termina nessa quinta-feira (30) Arquivo pessoal Ela reforça: “Muitas pessoas não querem acreditar na doença e só vão levar a sério quando perderem alguém, mas já vai ser tarde”. Fã de pagode Hermes de Paula da Silva morreu no dia 18 de maio em Belo Horizonte, aos 48 anos. Hermes de Paula da Silva morreu de Covid-19 aos 48 anos Arquivo pessoal “No dia 10 (maio) ele já estava passando mal. Ele me procurou, mas a gente não se encontrou. Foi logo chamando o Samu. Chegou no hospital, entubaram ele. É muito triste como é que uma pessoa estava aqui ontem e no outro dia já não existe mais”, disse Márcia Ramos, ex-namorada e amiga. Hermes era diabético. "Grupo de risco, né? A gente era muito próximo, batia papo e tomava uma. Eu não consigo acreditar no que aconteceu”, falou a amiga. “Amava pagode, principalmente o Zeca Pagodinho. Uma vez ele fez um aniversário que só tocava isso. Disse que foi o melhor da vida dele”, contou Márcia. Professora e diretora de escola Uma professora e diretora de escola municipal de Botelhos, no Sul de Minas, morreu no dia 6 de maio. Eliane Rodrigues, de 50 anos, ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital em Poços de Caldas (MG) por 10 dias, mas não resistiu. Morte da professora Elaine Rodrigues por Covid-19 fez prefeitura decretar luto oficial em Botelhos (MG) Divulgação/Redes sociais O prefeito Eduardo Oliveira publicou um vídeo nas redes sociais lamentando a morte. "Com muita tristeza no coração que recebemos hoje de manhã a notícia do falecimento da nossa colega de trabalho, professora, diretora, minha amiga Eliane Rodrigues, que infelizmente nesta manhã ela não suportou e foi mais uma vítima dessa Covid". O prefeito enviou solidariedade à família, decretou luto oficial de três dias na cidade e reforçou a necessidade de se manter os cuidados contra a transmissão do coronavírus na cidade. "Tudo o que a gente tem feito é para amenizar a doença". Initial plugin text
Veja Mais

02/07 - Quadrilhas especializadas em emissão de diplomas falsos são investigadas no ES
Investigação feita pelo Ministério Público e pela Polícia Civil aponta que 4 mil pessoas receberam diplomas de forma irregular no estado. Polícia e MP investigam a emissão de mais de 4 mil diplomas irregulares no ES O Ministério Público (MPES) e a Polícia Civil do Espírito Santo estão investigando quadrilhas especializadas na emissão de diplomas falsos no estado. Indícios apontam que mais de 4 mil pessoas receberam diplomas de forma irregular no estado. Os casos começaram a ser identificados em 2018, no município de Rio Bananal, no Norte do Espírito Santo, e foram encaminhados ao MPES, que deu início às investigações. ES teve operação contra falsificação de diplomas Divulgação/MPES De acordo com a delegada titular da Delegacia Especializada de Crimes de Defraudações e Falsificações (Defa), ainda não é possível dizer se há quadrilhas no Espírito Santo ou se os estelionatários criaram sedes no estado para a prática dos crimes. “Estamos investigando várias associações criminosas que atuam na falsificação, não só de diplomas, como de documentos em geral. Estamos investigando se elas são do Espírito Santo. Já sabemos de algumas que são de fora e que criam sede no nosso estado para vender documentos falsos”, informou. Segundo a delegada, a investigação segue por duas vertentes. Uma delas, decorrente da denúncia da Secretaria Estadual de Educação (Sedu) e dos municípios que identificaram documentos falsos apresentados por candidatos a vagas em concursos e processos seletivos, apura a venda de diplomas. Nessa linha de investigação, a acusação envolve principalmente professores que participaram de processos seletivos e apresentaram documentos falsos para terem vantagem na disputa da vaga e para conseguirem melhores remunerações. Apenas na região Norte do Espírito Santo, o Ministério Público identificou mais de 4 mil pessoas que receberem diplomas de graduação, pós-graduação e cursos livres de forma irregular. Já a segunda linha de investigação é de pessoas que denunciaram ter sido enganadas por instituições que ofertavam cursos de maneira irregular. Os centros de ensino onde elas fizeram os cursos não tinham autorização do Ministério da Educação e emitiam documentos sem efeito legal. “Estamos investigando também pessoas que foram vítimas de estelionato, ou seja, a pessoa que buscam fazer um aperfeiçoamento, especialização, e foram enganadas porque o instituto não poderia oferecer esse tipo de curso. Então, eles entregam para essas pessoas o diploma falso”, explicou a delegada. Para que o estudante não seja vítima deste tipo de esquema, a delegada alerta que é fundamental que a procedência da instituição seja verificada. As investigações ainda estão em andamento e nenhuma pessoa foi presa nessa fase da operação. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo
Veja Mais

02/07 - Câmara de Pirapozinho promulga lei que obriga realização de testes rápidos de Covid-19 nos casos suspeitos
Texto foi encaminhado para a Prefeitura e não foi sancionado. Ao retornar para a Casa de Leis, presidente a oficializou e publicou, nesta quinta-feira (2). Profissionais farão testes rápidos de Covid-19 em Pirapozinho Reprodução/RPC A Câmara Municipal de Pirapozinho aprovou e promulgou a lei que obriga a realização de testes rápidos para o diagnóstico de Covid-19 nos casos suspeitos e sem fins de diagnóstico confirmatório nas unidades de saúde da cidade. A medida foi publicada nesta quinta-feira (2). A Prefeitura não sancionou a legislação. Conforme a publicação, a lei, que dispõe sobre incluir no protocolo de atendimento do Pronto Atendimento Municipal e Unidades da Estratégia da Saúde da Família de Pirapozinho a realização de ensaios imunocromatográficos para pesquisa de anticorpos ou antígenos do novo coronavírus, é de autoria do vereador, e também presidente da Câmara, Claudecir Marafon (DEM). A proposta foi apresentada e aprovada na sessão ordinária desta segunda feira (1º). Conforme a lei, divulgada pela Câmara, “os testes rápidos consistem em uma picada no dedo do paciente, onde é retirada uma pequena amostra de sangue”. “A resposta sai entre 10 a 15 minutos, evidenciando se a pessoa tem anticorpos suficientes para se defender da doença”. Segundo Marafon, “o teste rápido pode usado como apoio para a avaliação do estado imunológico de pacientes que apresentem sintomas da Covid-19”. O parlamentar ainda afirmou que a realização dos testes nos casos suspeitos, ou seja, em pessoas que apresentem os sintomas da doença, permitirá que, "com maior rapidez, possa saber se trata-se de dengue ou Covid-19, contribuindo para o enfrentamento da doença". O Projeto de Lei, assinado junto a requerimento de urgência, foi aprovado por todos vereadores da Casa e seguiu para o Poder Executivo para ser sancionado, o que não ocorreu. A proposta voltou aos parlamentares e foi promulgada pelo presidente. Prefeitura O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Pirapozinho para um posicionamento e o Poder Executivo respondeu por meio de nota: "A administração municipal de Pirapozinho esclarece que os testes rápidos para a confirmação do coronavírus já estavam sendo realizados com constância e periodicidade pela Divisão de Saúde do Município, seguindo o protocolo de atendimento fornecido pela Secretária de Saúde do Estado de São Paulo. O município esclarece, ainda, que a realização dos exames se dá somente mediante requisição médica após avaliação clínica do paciente. O município informa que neste momento a quantidade de testes disponibilizados pelo Estado é suficiente para atender a demanda. O valor dos repasses de recursos financeiros disponibilizados pela União ao município para ações de combate e prevenção à Covid-19 totaliza até a presente data a quantia de R$ 392.967,55. Os demais valores de repasse se referem à parte da compensação financeira pela perda parcial de arrecadação. Initial plugin text Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.
Veja Mais

02/07 - Prédio da Zona Leste de São Paulo tem a fachada 'enfeitada' por centenas de maritacas
Moradores relatam que fenômeno ocorre há anos; especialistas buscam respostas para a situação. Maritacas "dominam" fachada de edifício do bairro do Tatuapé em São Paulo Vizinhos silenciosos e pouco festeiros são raros de se encontrar nos dias de hoje. Mas moradores de um prédio da Zona Leste da cidade de São Paulo têm o desafio (e a honra) de conviverem com os campeões da algazarra: centenas de maritacas. Aos olhos desatentos, a fechada de tijolos de um edifício da Rua Aguapeí, no bairro do Tatuapé, pode parecer enfeitada com pontinhos verdes. Cada um desses detalhes, na verdade, é um periquitão-maracanã (Psittacara leucophthalmus), uma ave popularmente conhecida como maritaca que visita a estrutura do prédio há dezenas de anos. Periquitão-maracanã (Psittacara leucophthalmus) é uma espécie comum em áreas urbanas e muito temida por roer fiações e nidificar em forros Rudimar Narciso Cipriani/TG O professor de educação física Bruno Henrique Pereira Moreno mora no prédio com a família há mais de 10 anos e desde que se mudou convive com essa companhia diária. “No começo, o barulho incomodava um pouco e, às vezes, acordávamos cedo com o som delas. Mas, com o passar do tempo, nos habituamos e tem dias que elas passam despercebidas”, comenta. As maritacas são aves da família dos psitacídeos, um conjunto que inclui também papagaios, araras e periquitos. A bióloga Raquel Colombo estuda uma de suas “parentes” e as dinâmicas que realiza no meio urbano. “Diversas famílias de aves ocorrem nas cidades. Algumas espécies são mais sensíveis e outras demonstraram uma capacidade maior de adaptação. De uma forma geral, psitacídeos precisam que o ambiente tenha um abrigo para passarem a noite e repousarem, alimentos e cavidades para nidificação”, explica ela. Initial plugin text Apesar de sua familiaridade com o assunto, o registro do grupo tão numeroso no edifício do Tatuapé espantou. Esse aglomerado indica também que essas aves podem estar repousando juntas nos arredores. “Eu trabalhei no mestrado com as maracanãs-pequenas (Diopsittaca nobilis). Identificamos no Museu do Ipiranga mais 100 delas em dormitórios coletivos e no Instituto Butantan até 400. Mas ainda não tínhamos registros de dormitórios tão numerosos para o periquitão-maracanã”, afirma. Quando a aproximação se torna um risco: "um dia estávamos escutando um barulho atrás do móvel da televisão. Quando olhamos, vimos que era uma maritaca que de alguma forma ficou presa na chaminé e desceu até o quarto andar. Conseguimos fazer com que ela saísse e fosse para fora", conta o morador Bruno Henrique Pesquisadores buscam hipóteses para decifrar o motivo de tantos indivíduos dessa espécie se aglomerarem no edifício Fome de terra? Uma suposição para as aves se alojarem na estrutura do prédio é a chamada geofagia: o consumo de terra com o objetivo de reduzir o impacto de outros alimentos que a espécie tenha ingerido. “Há relatos de bandos de psitacídeos se aglomerarem em barrões nas margens de rios e em morros, a fim de comer argila para melhorar a nutrição deficiente em minerais e também para neutralizar toxinas de algumas plantas que se alimentam”, explica Fábio Ferrão Videira, biólogo Presidente do Centro de Estudos Ornitológicos (CEO). Amenizar o impacto da acidez de algumas plantas e frutas incentiva hábitos diferentes na dieta do periquitão-maracanã Kelly Machado/VC no TG Se o “ingrediente” da dieta poderia ser encontrado com facilidade nos tijolinhos da fachada, a explicação, porém, parece não se comprovar. Além de ser um comportamento ainda não observado em cidades, a ausência de danificações na estrutura do prédio sugere que as aves não estão removendo e comendo argila para sua nutrição. Bruno Henrique, morador do local, reforça essa tese: “Já ouvimos dizer que elas se alimentam dos tijolos. Nós vemos que elas realmente bicam os tijolos, mas não há desgaste aparente”. Parada para afiar o bico? A ausência de áreas florestais para um grupo grande como este também pode ser um motivo para a “adoção” do edifício como um ponto de descanso. “O atrativo dessas aves pelo prédio em questão, pode estar relacionado também pela estrutura arquitetônica, a qual permite o descanso de um grupo numeroso de aves ao mesmo tempo, colaborando com o instinto social dessa espécie”, afirma Fábio Ferrão reforçando que os sulcos na estrutura fazem com que as aves consigam se apoiar sem esforço. Segundo Raquel Colombo, as maritacas também podem usar esse tempo de pausa na fachada para roer e esfregar o bico, um comportamento desenvolvido para afiar a ponta da mandíbula e deixá-la em boas condições para a captura de alimentos. “Essa situação como um todo demonstra a capacidade dessas espécies em avançar nas áreas urbanas e ocupar espaços novos que estão disponíveis. É uma perspectiva de conquista”, afirma a bióloga. Initial plugin text “Esquenta” para o voo? Pesquisadores acreditam ainda que palmeiras plantadas na frente do prédio possam funcionar como um dormitório coletivo para essas aves. Esse ambiente pode ter sido escolhido por estar próximo de um local em que encontrem alimento fácil, na manhã seguinte. De acordo com o biólogo Thiago Filadelfo, especialista em reprodução de aves silvestres, as maritacas podem usar a estrutura do edifício como um ponto de encontro antes de irem para a área de dormitório. Entenda o motivo de maritacas e outros animais se aglomerarem para dormir Arte/TG “Se você parar na frente desse prédio e olhar para as palmeiras, por volta de 16h30 e 17h, deve ver vários grupinhos de maritacas vindo de todos os lugares: Leste, Oeste, Norte, Sul. Mas quando elas vão para o dormitório, não pousam direto. Ficam nos arredores, olhando para a árvore para ver se está tudo certo”, comenta ele. Segundo o especialista, o fato de se organizarem nas paredes do edifício pode ser um “pré-passo” antes de pousarem nas palmeiras. Um processo semelhante também pode ocorrer na hora de despertar: as aves se afastam da área de dormitório se fixando no edifício antes de levantarem voo. De fato, à cada manhã, a cantoria das maritacas anuncia o início de um novo dia. Aos moradores locais, a barulheira se tornou música e as visitantes transformaram-se em moradores oficiais. “A gente se sente próximo da natureza quando elas chegam, é algo que se tornou parte da rotina. É uma chance diária de ter a natureza literalmente na sua janela”, afirma Bruno Henrique. Moradores relatam que as maritacas se aglomeram em palmeiras em frente ao prédio durante a noite Bruno Henrique Moreno/Acervo Pessoal Conheça características da família dos periquitos, tuins, araras e maritacas
Veja Mais

02/07 - Congresso promulga emenda constitucional que adia eleições municipais para novembro
Medida busca evitar proliferação do novo coronavírus. Com a mudança, primeiro turno passa de 4 de outubro para 15 de novembro e o segundo, de 25 de outubro para 29 de novembro. O Congresso Nacional promulgou em sessão solene nesta quinta-feira (2) a emenda constitucional que adia para novembro as eleições municipais deste ano em razão da pandemia do novo coronavírus. Pelo calendário eleitoral, o primeiro turno estava marcado para 4 de outubro, e o segundo, para 25 de outubro. A emenda à Constituição adia o primeiro turno para 15 de novembro, e o segundo, para 29 de novembro. A sessão solene foi presidida pelo presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre, e contou com a presença do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso. A votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) começou pelo Senado e foi concluída esta quarta (2) na Câmara dos Deputados. Emendas à Constituição são promulgadas pela mesa diretora do Congresso em sessão conjunta e não precisam da sanção do presidente da República. A emenda também altera outras datas relacionadas às eleições municipais. O prazo para partidos registrarem candidaturas, por exemplo, passa de 15 de agosto para 26 de setembro. A data de realização das convenções também foi alterada. O calendário eleitoral original determinava que as convenções dos partidos para a escolha de candidatos deveriam acontecer de 20 de julho a 5 de agosto. Com a mudança, o prazo passa a ser de 31 de agosto a 16 de setembro e por meio virtual. A emenda altera também trecho da legislação eleitoral para permitir que prefeitos façam publicidade institucional de atos e campanhas dos órgãos públicos municipais destinados ao enfrentamento à pandemia do coronavírus. A lei proíbe este tipo de publicidade nos três meses anteriores às eleições. Eventuais condutas abusivas serão apuradas. Caso um município ou estado não apresente condições sanitárias para realizar as eleições em novembro, o Congresso poderá editar um decreto legislativo designando novas datas para a realização do pleito, tendo como data-limite o dia 27 de dezembro de 2020. Datas A proposta fixa datas para a realização de eventos relacionados à campanha eleitoral. Pelo texto: a partir de 11 de agosto: as emissoras ficam proibidas de transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena de cancelamento do registro do beneficiário; de 31 de agosto a 16 de setembro: prazo para a realização das convenções para escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações; até 26 de setembro: prazo para que os partidos e coligações solicitem à Justiça Eleitoral o registro de candidatos; a partir de 26 de setembro: prazo para que a Justiça Eleitoral convoque partidos e representação das emissoras de rádio e TV para elaborarem plano de mídia; a partir de 27 de setembro: prazo para início da propaganda eleitoral, também na internet; 27 de outubro: prazo para partidos políticos, coligações e candidatos divulgarem relatório discriminando as transferências do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (Fundo Eleitoral), os recursos em dinheiro e os estimáveis em dinheiro recebidos, bem como os gastos realizados; até 15 de dezembro: prazo para o encaminhamento à Justiça Eleitoral das prestações de contas de campanha dos candidatos e dos partidos políticos, relativas ao primeiro turno e, onde houver, ao segundo turno das eleições; até 18 de dezembro: será realizada a diplomação dos candidatos eleitos em todo país, salvo nos casos em que as eleições ainda não tiverem sido realizadas.
Veja Mais